Atualizado em outubro | 2020 por SAS

Sempre que se pergunta para um gestor escolar, seja na figura do(a) coordenador(a), diretor(a) pedagógico(a) ou mantenedor(a), quais são suas maiores prioridades, em geral as respostas são, essencialmente, temas e desafios ligados ao processo de ensino e aprendizagem, formação de professores, relacionamento com alunos e famílias e engajamento da equipe. Muitas vezes, este time tem dificuldade de enxergar de que forma pode apoiar a melhoria da eficiência da gestão da escola, com relação a temas não-pedagógicos, como gestão financeira, por exemplo. 

Há, portanto, uma tendência de uma divisão, na escola, entre os times “financeiro/administrativo” e o time pedagógico. Esta é uma divisão natural, para que cada um possa focar nas suas atividades essenciais. No entanto, há sim algumas formas bastante eficazes por meio das quais o time pedagógico pode contribuir diretamente para uma melhor gestão escolar, em especial, quando o assunto é gestão financeira.  

Veja, neste artigo, 5 formas de tornar isso possível: 

  1. Relacionamento com as famílias 

A contínua comunicação e engajamento com as famílias é uma das formas mais eficazes de retenção e prevenção da evasão de alunos, em uma escola. Ter a equipe pedagógica, em especial os times responsáveis pelo acompanhamento dos alunos, em constante comunicação e alinhamento com as famílias, diminui a propensão de não-renovações e/ou transferências para outras escolas, e faz com que haja muito mais fluidez na troca de informações e no acompanhamento dos casos mais críticos. 

  1. Resolução de problemas pedagógicos 

A agilidade e assertividade nas resoluções de problemas pedagógicos, sejam de cunho acadêmico, sejam de cunho relacional entre alunos e escolas e entre eles mesmos (aluno(a)-aluno(a)), em geral, também é peça-chave na retenção. Estes dois fatores ajudam a fortalecer os elos de confiança e cuidado, dando às famílias sempre maior conforto nas tomadas de decisão, o que acaba influenciando positivamente quando o tema é manter ou tirar aquele aluno(a) da escola. 

  1. Comunicação com alunos (falar e ouvir muito) 

Outra atividade que, muitas vezes, não é priorizada no dia a dia, mas é muito valorosa para a gestão de uma escola, é a condução de uma excelente comunicação e engajamento com os alunos. Entender os seus desejos e necessidades pode otimizar, não só o trabalho pedagógico de sala de aula, mas, também, a oferta de cursos no contraturno, fazendo com que a oferta de serviços seja cada vez mais aderente ao perfil dos alunos da escola e podendo aumentar, ainda mais, a receita, de acordo com uma maior demanda dos alunos e famílias a esses cursos e atividades. Um corpo discente engajado é fator de sucesso, não só na retenção dos alunos e famílias, mas no marketing boa a boca de uma escola, por meio de aluno(as) promotores. 

  1. Planejamento anual de eventos pedagógicos 

Uma escola é composta por muitas atividades, eventos e comemorações, exigindo um amplo esforço de preparação e planejamento. Quanto mais detalhado for e com mais antecedência for planejado, melhor será feita a gestão dessas atividades e a contratação de fornecedores, tornando o processo mais eficiente e otimizando a gestão financeira, uma vez que pode gerar economias para o time envolvido na organização das atividades. Muitas vezes, as aquisições ou contratações de última hora se tornam bastante onerosas, trazendo impactos financeiros consideráveis ao colégio. 

  1. Contratação e retenção do time 

Poucas escolas e empresas calculam o impacto, mas o custo da perda de um colaborador é bastante elevado e danoso para as finanças de uma escola. Além do ônus direto de uma eventual demissão ou desligamento, pouco se calcula o impacto da formação do novo colaborador, ou seja, o tempo de aprendizado que será necessário para que ele absorva o aprendizado técnico e cultural sobre o formato de trabalho daquela escola. Em caso de corpo docente ou equipe pedagógica, talvez o maior prejuízo ainda esteja na perda dos laços e relacionamentos com famílias e alunos, que podem ser bastante danosos. É, portanto, altamente estratégico e financeiramente muito vantajoso investir tempo e recursos em um bom processo de contratação, mapeando a aderência cultural e de perfil, e, em especial, a retenção do time. Investir tempo em pesquisas de clima, em um bom processo de avaliação de desempenho com feedbacks e em planos de carreira, podem ser fundamentais para uma boa gestão financeira da sua escola.  

Os pontos acima evidenciam, portanto, que o time pedagógico é peça-chave para a boa gestão financeira de uma escola e pode contribuir diretamente para seu crescimento e sustentabilidade. O pedagógico é o coração de uma escola, e todas as ações desenvolvidas que gerem valor para pais, alunos e todo time da instituição, são peça-chave para o crescimento e sucesso das escolas, independente do seu perfil pedagógico, perfil de público ou de região.  

Para entender melhor o que podemos fazer pela sua escola e como podemos ajudá-la na missão de transformar pessoas por meio da Educação de Excelência, clique aqui

*Este artigo é de autoria de Lucas Faleiros – gerente executivo de Gestão e Operação da Consultoria Pedagógica do SAS