Irmãos estudando na cozinha

Família e escola: confira dicas de como melhorar essa relação

setembro | 2020

Quando falamos em educação de crianças pensamos em duas pontas que devem estar conectadas com o mesmo objetivo: conduzir o indivíduo para um futuro promissor, ciente de suas obrigações, direitos e deveres.

Família e escola são partes deste elo tão importante que são citadas no 2º artigo da Lei de Diretrizes e Bases (LDB): “a educação, dever da família e do estado, inspirada nos princípios de liberdade e nos ideais de solidariedade humana, tem por finalidade o pleno desenvolvimento do educando, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho.”

A escola tem como um dos seus principais objetivos servir a sociedade contribuindo para conceber uma geração de indivíduos que vão colaborar com o ambiente no qual estão inseridos e com o país. Porém, sem a ajuda da família, este papel pode ser comprometido.

Cabe ao gestor escolar, dentro de suas responsabilidades, prestar auxílio às famílias, ampliando o relacionamento e criando uma parceria de sucesso, trazendo assim benefícios para todos os envolvidos neste processo.

Deseja entender melhor como otimizar essa importante relação? Continue acompanhando o artigo!

Qual a importância da relação família e escola?

Família e escola são as primeiras instituições com as quais os indivíduos têm contato. Uma relação positiva entre ambas é fundamental!

Como uma equipe, família e escola criam uma relação de extrema relevância no processo de ensino e aprendizagem do aluno.

A família espera que a escola acolha seu filho com a mesma atenção que oferece em casa. Já a escola almeja que os responsáveis estimulem o estudo em casa, incentivando a pesquisa, a leitura e a resolução de atividades propostas em sala de aula.

Porém, este diálogo nem sempre acontece de forma natural. Isso porque a escola pode não abrir oportunidades de escuta para os pais ou porque os próprios familiares não compreendem a importância de se aproximar de gestores e professores.

O gestor escolar, como guardião do planejamento e estratégias de aprendizado que o aluno deve seguir, tem como responsabilidade informar à família como os estudos podem ser conduzidos de forma mais assertiva. Por outro lado, a família é o primeiro ponto de apoio e de contato do indivíduo com o mundo.

É a partir dos exemplos que teve e a forma como reage a eles, que o aluno acaba por expressar seus comportamentos e sua maneira de ser e se relacionar com o mundo em que vive. 

Nesse sentido, a relação família e escola passa a ter caráter constitutivo na formação integral do indivíduo. E justamente por isto o diálogo aberto e genuíno entre estas duas instituições é tão necessário para uma relação de qualidade.

Qual o papel da escola nessa relação? 

Vimos que cabe à instituição escolar potencializar essa relação família e escola, por se tratar da parte mais ligada diretamente ao processo da aprendizagem.

Dessa forma, adotar uma comunicação clara e que vá além dos bilhetes ou recados institucionais é fator determinante para a criação de um clima de confiança e de estreitamento desta relação.

Ampliar a conversação trazendo à tona assuntos relevantes e abrangentes, demonstrando real interesse em como o aluno é dentro do ambiente familiar – aproxima a família da escola.

De oposto a isso, quando a escola apenas chama os pais para informar que algo não vai bem, cria-se resistência e afastamento.

Nesse sentido, podemos pensar em diferentes alternativas que o gestor pode seguir para intensificar essa relação:

  1. . Compartilhar artigos para sensibilização dos pais sobre a importância da aproximação da família nos estudos da criança;
  2. Orientar os pais diante das dificuldades e dúvidas em como engajar as crianças nas atividades escolares.
  3. .  Criar projetos onde crianças e familiares tenham que colaborar para a execução das atividades;
  4. Ofertar oficinas onde pais poderão compartilhar habilidades e interesses junto aos alunos, de maneira colaborativa;
  5. Disponibilizar plataformas e ferramentas de tecnologia para aproximar a família da escola, com comunicações constantes, por meio de agendas eletrônicas, por exemplo. 

E como alcançá-la?

Há diversas maneiras para que a relação família e escola sejam benéficas para gestores/professores e pais. Sem perder o foco de que o aluno é o protagonista deste vínculo, cabe a cada uma das partes demonstrar e se esforçar para que esta associação seja positiva.

Família

No que diz respeito à família, cabe aos responsáveis escolher uma escola que apresente os mesmos padrões éticos e de prática pedagógica em que acreditam, pois essa escolha vai trazer mais segurança e confiança.

Além disso, o diálogo e o interesse em saber o que está sendo vivenciado na escola, quais estão sendo as dificuldades e os pontos de maior interesse do aluno, são poderosos estimuladores no âmbito da aprendizagem.

Participar de reuniões, entender e ajudar o aluno a cumprir as regras estabelecidas pela escola e dar autonomia (diante da maturidade do aprendiz) são ações que a família pode tomar.

Escola

A escola deve manter a família atualizada de tudo o que está acontecendo, cumprindo sua proposta pedagógica ao pé da letra. Como parte do processo educativo, deve dar autonomia aos aprendizes (de acordo com a maturidade de cada um) e abrir um espaço de escuta ativa para alunos, pais e responsáveis. 

Benefícios de uma boa relação entre família e escola

Irmãs escrevendo em papel branco
O principal benefício dessa boa relação é, sem dúvidas, a segurança e confiança passada ao aluno/filho

Abordamos muito a relação família e escola para demonstrar que a presença familiar no ambiente escolar aumenta o rendimento, pois quando ambos participam da formação do aluno, ele se sente mais seguro e confiante.

Além desse benefício, uma boa relação família e escola também pode ajudar na:

Conquista de bons resultados

Quando o aluno percebe o interesse de pais, professores e escola em seu desenvolvimento ele se sente motivado a fazer o seu melhor, conquistando assim resultados muito mais positivos. 

Melhora da indisciplina

Ao ser tratado com respeito e atenção por todos aqueles que o acompanham no processo de aprendizado, o aluno que às vezes apresentava comportamentos para chamar a atenção sobre si, passa a ter atitudes mais condizentes com a dinâmica escolar.

Promoção do desenvolvimento cognitivo e social

Ao compreender melhor como o aluno aprende, quais seus gostos, suas competências mais fortes e aquelas que precisam de apoio, família e escola podem, de maneira colaborativa, contribuir para o estímulo destes aspectos. 

Educação é um tema tão essencial que deve ter diferentes “patrocinadores”. Essa educação compartilhada favorece a construção de um cidadão consciente do que deve oferecer e esperar da sociedade em que vive. A construção de uma relação entre família e escola robusta torna-se complementar a este processo. 

E então, gostou das nossas dicas? Leia também sobre o ensino híbrido!

Está buscando uma parceria de sucesso junto a sua escola?. Entre em contato conosco!

Categorias:

Autor do artigo