Atualizado em setembro | 2020 por SAS

O movimento da BNCC foi influenciado pela inserção da tecnologia no dia a dia dos alunos, pelas mudanças no campo profissional e também pela observação da importância de diversas competências para lidar com os desafios do futuro.

Desta forma, as competências da BNCC regulamentam as diretrizes em toda a Educação Básica no Brasil, com uma proposta de ensino mais justa, investindo no desenvolvimento intelectual, social, físico, emocional e cultural do aluno,  por meio de normativas, tais como: 

  • Conhecimento;
  • Argumentação;
  • Trabalho e projeto de vida;
  • Repertório cultural.

Com isso, sabe-se que a relevância da BNCC é formar um aluno mais atuante na sociedade, beneficiando também as escolas por meio da elaboração de um currículo mais atual, elevando o  padrão de ensino. 

O professor, por sua vez, precisa se familiarizar com o documento e compreender a BNCC em sua totalidade, podendo necessitar de orientação e apoio por parte da equipe pedagógica da instituição.

O que é a BNCC? 

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) é um documento elaborado pelo MEC, visando normatizar as redes de ensino, sejam elas públicas ou privadas, iniciando na Educação Infantil até o Ensino Médio. 

Temas contemporâneos, transversais e integradores compõem as competências da BNCC, no intuito de oferecer mais igualdade no sistema de ensino aplicado no Brasil, proporcionando uma formatação social mais democrática e inclusiva. O foco da proposta é promover a aprendizagem de todos os estudantes.

A ideia de articular uma base nacional comum curricular vem sendo fomentada desde 1996 com a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), no Art. 26., onde consta que: “Os currículos da Educação Infantil, do Ensino Fundamental e do Ensino Médio devem ter base nacional comum, a ser complementada, em cada sistema de ensino e em cada estabelecimento escolar, por uma parte diversificada, exigida pelas características regionais e locais da sociedade, da cultura, da economia e dos educandos.” 

Somente em 2015, entretanto, o primeiro documento oficial foi elaborado e, após alguns ajustes, homologado em 2017 para, em 2020, tornar-se realidade dentro das escolas brasileiras, existindo um prazo para a adequação completa das escolas.

Um dos pilares da BNCC é o  de ofertar condições educacionais de maior qualidade, gerindo coerência entre avaliações, currículo, materiais didáticos e a formação dos professores, que é fundamental para o bom andamento da implementação na prática.

Os materiais didáticos sofreram modificações para se adequarem ao direcionamento indicado. Livros didáticos precisaram ser repensados com o propósito de engajar o pensamento crítico e agregar tecnologia ao planejamento das aulas,  colocando o aluno como protagonista na construção do seu aprendizado. 

É fundamental que os materiais didáticos sejam alinhados com as competências da BNCC e que contextualizem assuntos atuais.

Dentro do documento da BNCC, com o intuito de gerar ampla integração, os Temas Contemporâneos Transversais (TCTs) aparecem para explanar como os diferentes componentes curriculares se interligam, reforçando, mais uma vez, a relevância da aprendizagem e combinando valores éticos, cidadania, sustentabilidade, entre outros aspectos. 

Os TCTs são compostos de seis macro áreas temáticas, conforme segue:

fonte: Temas contemporâneos transversais na bncc

Algumas propostas de trabalho poderão sofrer alterações dentro dos currículos escolares, com abordagem transdisciplinar, intradisciplinar ou interdisciplinar, guiando, assim, as práticas pedagógicas dentro das escolas.

Até quando as escolas têm que implementar as competências da BNCC?

Como falado acima, é de grande importância que as instituições estejam cientes de que existe um prazo para a total adequação das normas da BNCC, pois, nem toda a escola, de fato, está 100% adequada.

A resolução do Conselho Nacional de Educação (CNE), publicada em 22 de dezembro de 2017, estabeleceu que as adequações deveriam ser feitas ao longo de 2018 para que, já em 2019, elas cheguem às salas de aula. De acordo com o CNE,  o prazo máximo para a implementação foi no início do ano letivo de 2020.

A fiscalização desta tarefa cabe aos órgãos normativos de cada sistema de ensino.

O que são as competências da BNCC?

Segundo o MEC, as competências da BNCC são uma mobilização de conhecimentos, habilidades (práticas, cognitivas e socioemocionais), atitudes e valores para resolver demandas complexas da vida cotidiana, do pleno exercício da cidadania e do mundo do trabalho.

Foram estabelecidas 10 competências da BNCC, que corroboram para que a educação obtenha uma linha padrão em todos as séries e áreas de conhecimento. Cada componente curricular e área tem suas competências específicas, para depois tornarem-se disciplinas junto com os objetos de conhecimento e as habilidades pretendidas. 

Como as competências influenciam as tomadas de decisão do estudante para a vida?

A partir das competências da BNCC, os estudantes constroem consciência à respeito do impacto de suas decisões, seja na vida pessoal ou na sociedade, pois ele aprende a vivenciar e identificar valores importantes para si e para o coletivo.

Desta forma, ele se responsabiliza por suas ações, planejando e decidindo individual e coletivamente qual o melhor caminho a ser tomado, sempre pensando nas consequências gerais.

Além disso, eles aprendem a refletir sobre situações concretas em que gatilhos emocionais, frustrações e ações impactam no contexto, procurando e analisando formas de aprimoramento.

Competências da BNCC: entenda cada uma delas!

As competências da BNCC devem ser analisadas por gestores, professores e também pelos pais, para que seja possível alcançar os melhores resultados.

Cada título das competências da BNCC fornece pistas do que se espera do trabalho da escola e dos valores, conhecimentos, habilidade e atitudes procuradas.

Por isso, entenda as 10 competências da BNCC

Conhecimento

A competência conhecimento está relacionada à aquisição de saberes de forma generalizada, seja de cunho digital, social, cultural, científico ou histórico. Sua compreensão abrange visão global, despertando a colaboração nos estudantes para que possam operar de forma atuante na sociedade.

Pode ser aplicado com projetos e trabalhos de pesquisa, a fim de contextualizar  os conhecimentos.

Pensamento científico, crítico e criativo

O estímulo para que o aluno desenvolva o senso crítico, despertando a criatividade, a curiosidade e a autonomia – esses são os pilares desta competência da BNCC. 

A investigação e a interpretação, bem como o impulsionamento para testar hipóteses, levam o aluno  à construção do  pensamento científico, crítico e criativo.

Repertório cultural

Relaciona-se com a identidade do indivíduo, levando-o à compreensão da cultura na qual se insere, bem como à  dos  demais povos, visando a valorização de aspectos artísticos e culturais inerentes a si mesmo e aos outros .

Comunicação 

Na competência comunicação, se privilegia a utilização de diferentes linguagens para ampliar o entendimento de mundo, iniciando pelo local onde o aluno se insere . As linguagens tecnológicas e a realidade do cotidiano são igualmente abordadas aqui.

Cultura digital 

A cultura digital tem o intuito de problematizar o uso das tecnologias, envolvendo questões éticas e permitindo que o estudante aprofunde e utilize, de forma coerente, seus conhecimentos. 

Essa competência contempla múltiplas disciplinas, tanto exatas, quanto humanas.

Trabalho e projeto de vida 

O foco nesta competência é um planejamento de carreira e de vida, auxiliando o estudante a tomar suas decisões de presente e futuro com responsabilidade. Além de fazê-los compreender o mundo do trabalho e, a partir disso, fazer escolhas envolvendo cidadania, autonomia e liberdade.

Argumentação 

Nesta competência, o estudante deve desenvolver ideias e opiniões sólidas com embasamentos, fomentando assuntos relevantes sobre consciência ambiental e ética. Baseado nestes aspectos, o estudante aprende a defender seus pontos de vista, sempre com respeito à opinião do próximo.

Autoconhecimento e autocuidado

O foco do autoconhecimento e do autocuidado é despertar o indivíduo para um conhecimento interior, nos quais os aprendizados: emocional, de ordem física e mental, são prioritários.

Ou seja, despertar os conhecimentos, habilidades e atitudes com confiança e coragem, analisando estratégias para vencer os desafios, além de tomar ciência das emoções e sentimentos, buscando sempre se manter tranquilo e otimista frente às situações difíceis.

Empatia e cooperação 

A empatia e a cooperação são bastante relevantes  junto à aplicação das competências, pois afirmam uma cultura de não-violência e de respeito na formação dos alunos

O respeito por todas as crenças e pela diversidade, a colaboração em todos os aspectos e a procura pela solução de problemas, por exemplo, entram em pauta.

Responsabilidade e cidadania 

Esta competência tem o intuito de proporcionar a formação de uma cidadania com mais consciência, solidariedade e ética, unindo a uma postura de responsabilidade e sustentabilidade e  visando constituir sujeitos conscientes e responsáveis.

Como as competências funcionam no dia a dia?

Na prática, podemos notar em diversos pontos a intenção de formar uma sociedade mais justa, com educação de qualidade, trazendo elementos que elencam valores importantes junto aos estudantes, tal como o desenvolvimento de uma gama de habilidades práticas e emocionais. 

Pensar e planejar atividades alinhadas ao currículo escolar, levando em consideração o texto do documento, é efetivar em sua praticidade as competências da BNCC e toda sua significação social.

O professor adota uma postura reflexiva para colocar o estudante como protagonista do seu ensino, eliminando o indivíduo passivo e transformando-o em agente. As ferramentas tecnológicas são exploradas no dia a dia da escola e precisam ser dominadas também pelos docentes para que façam uso com segurança e excelência.

Aos gestores, cabe acompanhar este processo e investir na formação docente para amparar os professores neste momento transitório, pois a responsabilidade de atingir os resultados propostos pela normativa é um empenho coletivo e envolve toda a equipe, além de equipar os ambientes da escola para uma apropriação tecnológica, a fim de dar suporte á  cultura digital.

Exemplos de atividades para aplicação em sala de aula

O MEC desenvolveu um roteiro para atividades a serem implementadas, com o propósito de apoiar a organização nas discussões sobre BNCC em escolas, com indicação de atividades a serem desenvolvidas com os professores, coordenadores pedagógicos e diretores.

Outro exemplo que podemos citar, à respeito da cultura digital, é que é possível implementá-la  por meio de ferramentas como o Eureka, do SAS, uma plataforma gamificada e adaptativa, que dialoga bem com essa competência ao estimular nos jovens o interesse pelo mundo da matemática, língua portuguesa, ciências, química, biologia e física por meio de jogos. 

Segundo o diretor de ensino e inovações educacionais do SAS, foi alcançado através da ferramenta:

  • Um nível de engajamento de 86% por parte dos alunos;
  • Em avaliações externas, os alunos obtiveram  resultados 20% melhores que os demais.

O SAS Educação possui um portal onde disponibiliza uma série de informações sobre o tema da BNCC. Nossos materiais são 100% adaptados à base. Quer saber mais? Fale com um dos nossos consultores educacionais!