Atualizado em 17 de janeiro | 2024 por SAS

Ademar Celedônio, Diretor de Ensino e Inovações do SAS Educação, destaca o impacto da IA na educação e compartilha insights sobre sua revolução nas escolas.

Onde a IA é fundamental?

A personalização da aprendizagem é uma das facetas mais promissoras da IA na educação. A capacidade da IA de adaptar os materiais de aprendizagem às necessidades, habilidades e preferências individuais de cada aluno proporciona uma experiência educacional altamente personalizada. Isso se traduz em uma melhor compreensão e retenção do conteúdo, visto que o material é apresentado de maneira adequada ao perfil de aprendizado de cada estudante. “O papel do professor vai ser cada vez mais significativo do ponto de vista não de corrigir redações, mas sim de dizer para o aluno o que ele deveria fazer agora no processo para ter uma nota melhor. Então quem diz que a IA vai acabar com o trabalho do professor está muito enganado. Mas de alguma maneira o trabalho do professor que se alinhar às IAs vai ser muito significativo e melhor”, ressalta Ademar.

A análise de desempenho e avaliação é outro domínio onde a IA se destaca. Ao processar grandes volumes de dados, a IA pode avaliar o desempenho dos alunos em avaliações, tarefas e atividades. Essa análise detalhada não apenas ajuda os educadores a identificar áreas de dificuldade, mas também fornece feedback instantâneo e personalizado aos alunos, permitindo que ajustem seu foco para melhorias contínuas.

No entanto, a implementação bem-sucedida da IA na educação não é isenta de desafios. A infraestrutura tecnológica adequada é essencial, incluindo acesso à internet de alta velocidade e dispositivos compatíveis. Os custos associados à implementação da IA também podem representar um obstáculo, especialmente para instituições com orçamentos limitados.

A Inteligência Artificial também tem desafios

A integração eficaz da IA requer um investimento significativo em formação continuada para educadores. É essencial o desenvolvimento de habilidades pelos educadores para utilizar plenamente as ferramentas de IA e interpretar os insights gerados pelos sistemas. “Será que a gente pode realmente confiar no Chat GPT? Os modelos de linguagem são treinados para produzir respostas que são coerentes, bem escritas. Mas não necessariamente reais”, provoca Ademar. Essa formação, cada vez mais fundamental, precisará vir acompanhada de um olhar crucial ao abordar questões éticas, como privacidade dos dados dos alunos e viés algorítmico, para garantir uma aplicação ética e justa da IA na educação.

Um estudante interagindo com a plataforma de educação online, demonstrando a participação dos alunos nas aulas.

A tecnologia e o SAS Educação são grandes aliados das escolas no momento de encorajar a participação dos alunos nas aulas.

O histórico das IAs evidencia um caminho evolutivo marcado por marcos significativos. Desde os primórdios com ELIZA (1966) e PARRY (1972) até os modelos de linguagem avançados como BERT (2018) e GPT-3 (2020), a IA tem percorrido um longo trajeto. Sistemas populares, como Siri (2011), Amazon Alexa (2014) e Google Assistente (2016), incorporam a IA em nossas vidas cotidianas, refletindo sua aceitação e integração na sociedade contemporânea. “Cada vez mais a gente vai ouvir falar da Pedagogia da Pergunta e da Pedagogia da Resposta. Quanto mais a gente souber conversar com as plataformas de inteligência artificial, melhores respostas elas vão dar”, reforça Ademar.

O que queremos do futuro com as Inteligências Artificiais

Essa preocupação com o tipo de perguntas e respostas que recebemos e damos às IAs focam não só na melhoria dos sistemas de inteligência artificial, mas na melhor preparação de professores e alunos para lidar com essa realidade no cotidiano escolar. É preciso lembrar que essas tecnologias são extremamente recentes quando comparadas com outros formatos de ensino e captação de informação. Ainda há muito para ser descoberto e melhorado e todos os lados dessa equação devem estar atentos a isso quando o resultado é a formação de uma nova geração de alunos e profissionais.


Com a educação socioemocional busca-se a formação de estudantes de forma completa e com as habilidades necessárias para a vida em sociedade.

Nesse cenário, não é de se espantar que a Inteligência Artificial represente uma promissora revolução educacional. A superação dos desafios associados à sua implementação é essencial para desbloquear todo o potencial da IA no aprimoramento da educação. À medida que avançamos nesta era tecnológica, a IA pode se tornar um pilar crucial, garantindo um aprendizado mais eficaz, personalizado e equitativo para os estudantes. E como escolas e professores devem lidar com essa nova realidade? Ademar Celedônio mais uma vez traz a resposta: “Usem as ferramentas de IA, testem muito, descubram como usá-las e não lutem contra a evolução, esse é um caminho sem volta. Façam com que seus conteúdos evoluam junto com as novas tecnologias, mas, principalmente, sejam transparentes com seus alunos: eles sabem mais sobre essa evolução do que a gente”.

Conte com o SAS Educação

Lembre-se de contar com a parceria do SAS Plataforma de Educação no momento de colocar o tema em prática dentro da escola onde atua. Através de suporte especializado e formação continuada, favorecemos a compreensão e possibilidades de uso das tecnologias de IA no contexto pedagógico.

Entre em contato com um de nossos consultores e informe-se.