Atualizado em 13 de janeiro | 2021 por SAS

Jogos e brincadeiras na Educação Infantil devem ser encarados como um potente instrumento de aprendizado, uma vez que são fundamentais para que a criança se desenvolva como indivíduo. 

Afinal, quando pensamos no coletivo, jogos e brincadeiras se tornam essenciais para o desenvolvimento, também, das habilidades socioemocionais de cada fase.

Certamente, durante o ensino remoto, as dificuldades em desenvolver jogos e brincadeiras na Educação Infantil se tornaram mais explícitas, tanto para os educadores, quanto para as crianças. 

Nesta leitura, iremos abordar como escolher e adaptar as brincadeiras para o ensino híbrido por meio de jogos e brincadeiras na Educação Infantil.

Como escolher jogos e brincadeiras na Educação Infantil?

A escolha dos jogos e brincadeiras na Educação Infantil deve ter uma intencionalidade pedagógica, para que os direitos de aprendizagem e desenvolvimento da criança sejam garantidos. Para isso, opte sempre por atividades que tenham como objetivo o desenvolvimento psicomotor e do senso coletivo do indivíduo.

Assim, quando for trabalhar na escolha das inferências pedagógicas, é fundamental levar em consideração os campos de experiência, como, por exemplo, corpo, gestos e movimentos; traços, sons, cores e formas; e, escuta, fala, pensamento e imaginação. 

É por meio dessas observações e no cuidado da seleção do repertório de ensino, que a instituição pode traçar estratégias que estimulem o pleno desenvolvimento dessas habilidades nos pequenos.

Os campos de experiência, citados na Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil (DCNEI), acolhem as situações e as experiências concretas da vida cotidiana das crianças e seus saberes, entrelaçando-os aos conhecimentos que fazem parte do patrimônio cultural.

Seja no contexto presencial, ou no contexto remoto, é fundamental observar as situações vivenciadas pelas crianças, afinal, nosso intuito é sempre escolher as melhores brincadeiras, jogos e intervenções pedagógicas que façam sentido para o seu aprendizado.

Dentro da Base Nacional Curricular Comum (BNCC), a brincadeira aparece como um direito cotidiano da criança, exercendo um papel ativo em ambientes que as convidem a vivenciar desafios e que provoque nelas o desejo de resolvê-los.

Dessa maneira, a escolha dos jogos e brincadeiras na Educação Infantil deve seguir esta premissa, além de atentar-se à faixa etária e às particularidades de cada turma, que variam de uma para outra.

Jogos e brincadeiras na construção do indivíduo 

As possibilidades de transitar e criar com os processos de brincar e aprender são imensas. A BNCC atribui à brincadeira um papel direcionador para a constituição de valores coletivos e para a cidadania.

O professor deve salientar, ainda, aspectos da cultura brasileira, que pode ser feito por meio da cultura maker, por exemplo, reforçando as diversas identidades existentes e incentivando o respeito aos diversos povos. 

Ações dessa natureza, podem e devem ser inseridas nos jogos e brincadeiras da Educação Infantil, como agentes transformadores dos atuais cenários. Um bom exemplo é a realização de ações respeitosas e que insiram as culturas africanas como parte estruturante da nossa história e sociedade.

Trazer elementos folclóricos, como, lendas, músicas e jogos, é algo muito interessante para a realidade brasileira. Estas, geralmente são coletivas, fortalecendo, assim, a socialização. 

Certamente, muitas delas são adaptáveis ao ensino híbrido, bem como: amarelinha, cabo de guerra, cabra cega, entre outros. Mesmo dentro do ensino híbrido, de maneira lúdica, a criança pode usufruir dessas atividades, aprendendo a trabalhar a empatia, a dividir  e, mesmo que seja com o grupo familiar, a ganhar e a perder. 

Os jogos folclóricos ainda aproximam as famílias, pois os pais e os avós, por exemplo, talvez conheçam as brincadeiras e se divirtam relembrando.

É importante trabalhar, também, datas e marcos importantes da História, para que a criança comece a constituir sua visão cidadã e como ser atuante na sociedade.

Conhecer sua história, saber de onde viemos e entender as datas comemorativas no seu contexto mais amplo é formar indivíduos cientes do seu valor como cidadãos, associados a momentos de aprendizagem e diversão.

Adaptação de jogos e brincadeiras na Educação Infantil durante o ensino híbrido

É possível realizar a adaptação de jogos e brincadeiras na Educação Infantil para os mais diversos contextos. Basta que você realize um planejamento, e a criança conte com a supervisão de um adulto responsável. Peça para que as atividades sejam gravadas e analise a evolução do aluno.

Principalmente durante o ano de 2020, alunos, educadores, gestores e familiares passaram por uma brusca mudança no ensino, saindo de um contexto presencial para um ensino remoto e, posteriormente, híbrido.

Para tanto, adaptar os jogos e brincadeiras na Educação Infantil é uma tarefa que demanda criatividade e estudo por parte do grupo escolar. Os educadores, por sua vez, buscaram recursos variados como aulas on-line e materiais comuns disponíveis na residência dos alunos, e contaram com o apoio da família e muitos recursos digitais.

Em contrapartida, a instituição e os gestores precisaram aprender novas estratégias para estimular os professores nesta prática, além de fornecer ferramentas e soluções para análises e avaliações contínuas, principalmente nos momentos de ensino remoto.

Antes de qualquer coisa, o lúdico deve estar presente para que a criança, mesmo no ensino remoto, se envolva e engaje nas propostas dos educadores, afinal de contas,  os pequenos expressam e experimentam seus desejos e vontades por meio de sua imaginação colocada em ação.

Dessa forma, o brincar com o imaginário é parte fundamental do desenvolvimento e constituição da personalidade e aprendizado da criança.

A adaptação do ensino remoto para o híbrido de jogos e brincadeiras na Educação Infantil não deve se ater apenas ao uso de computadores e aparatos tecnológicos.

Os docentes podem e devem aproveitar este momento para contemplar ferramentas que as crianças possuem disponíveis em seus lares, explorando a ludicidade que estes elementos podem trazer para a constituição do aprendizado.

Jogos e brincadeiras na Educação Infantil podem e devem explorar a criatividade das crianças!

Agora, acompanhe algumas dicas práticas para a realização de jogos e brincadeiras neste contexto: 

  • Insira elementos da rotina da escola: iniciar a aula com uma música, por exemplo, e estabelecer conexões com a forma presencial, é trazer um conforto para os pequenos.

    Nesses momentos, alguns elementos podem ser trazidos: brincadeira com dedoches, utilização de movimentos corporais, jogos de adivinhação após a música, entre outros.
  • Crie vídeos curtos: pode ser uma proposta lançada pelo educador para que as crianças façam vídeos seus, mostrando alguma brincadeira específica ou aleatória, por exemplo. As crianças pequenas adoram ver sua imagem em vídeos. É educativo e divertido.
  • Contação de histórias online: realize contação de histórias on-line recheadas de elementos surpresas. Bichos de pelúcia, emojis, produção de desenhos em tempo real, imagens com EVA, etc, com criatividade e empenho surgirão momentos ricos junto às crianças, mesmo a distância.

Jogos e brincadeiras na Educação Infantil: Solução SAS

As soluções do SAS auxiliam as escolas por meio de ferramentas digitais, avaliações diagnósticas e acompanhamento com consultores pedagógicos, para que seja possível identificar os níveis de aprendizagem dos alunos, com possíveis ações de forma personalizada. Assim, garantimos o respeito ao tempo de cada indivíduo.

Saiba que, quando um gestor escolar, fundamental como tomador de decisões, realiza a escolha de atividades e brincadeiras com intencionalidade pedagógica, fortalece a relação com os direitos de aprendizagem e desenvolvimento. Todos esses pontos devem estar alinhados com a importância da BNCC para o sucesso das atividades. 

Quer saber como o SAS pode ajudar sua escola na missão de transformar pessoas por meio da Educação de Excelência? Fale agora mesmo com nosso time de consultores.