Atualizado em 30 de outubro | 2020 por SAS

Diante dos desafios trazidos pela pandemia, escolas e famílias precisaram reinventar a rotina para que estudantes pudessem continuar os estudos,  por meio de atividades remotas.  

A seguir, veja boas práticas para as atividades remotas e saiba como melhor se preparar para ajudar os alunos da sua escola. Confira:

O que são atividades remotas?

As atividades remotas são realizadas com a mediação da tecnologia, de forma não presencial, através de ferramentas de comunicação.

No contexto da educação, as medidas de isolamento social obrigaram todas as instituições de ensino a aderirem às atividades remotas como alternativa para reduzir os impactos negativos da ausência de aulas presenciais.

No primeiro semestre deste ano, o MEC publicou duas portarias: a nº 343 / 2020, que deu sinal verde para as aulas que utilizam as Tics (Tecnologias da Informação e Comunicação) no Ensino Superior, e a de nº 544 / 2020, que estendeu a permissão para o ensino on-line durante a pandemia. 

A iniciativa do MEC incentivou o Conselho Nacional de Educação (CNE) a orientar as autoridades educacionais a implantarem atividades remotas.

Com isso, os Conselhos Estaduais de Educação (CEE) também começaram a se posicionar criando deliberações, resoluções e pareceres, orientando as atividades remotas para a Educação Básica. É possível ler estes documentos na íntegra no site da ANEC, que reuniu todas as legislações publicadas em cada Estado. 

Atividades remotas e EAD: existem diferenças na prática?

As atividades remotas passaram a fazer parte do dia a dia do professor e do estudante, por isso, entender suas características e benefícios é muito importante para implementá-las.

É importante ressaltar que as atividades remotas e o ensino a distância (EAD) não são a mesma modalidade de ensino

Apesar das similaridades, há diferenças com relação aos seguintes tópicos: 

  • Cronograma;
  • Dinâmica;
  • Materiais;
  • Avaliações. 

Entres os principais aspectos que diferenciam as duas modalidades estão:

Aulas remotas

Nas atividades remotas, as aulas podem ser síncronas (ao vivo com os alunos em salas digitais) e assíncronas (vídeos gravados pelos professores). No primeiro caso, existe a interação entre professores e alunos, com o objetivo de simular a sala de aula presencial. 

As aulas são realizadas nos dias e horários que já tinham sido estabelecidos, e os professores estão à disposição o tempo todo. Quanto aos materiais e o conteúdo, eles podem ser personalizados, elaborados de acordo com as necessidades da turma e de alunos específicos. 

Além disso, o cronograma costuma ser flexível, e o plano de ensino está adaptado à situação emergencial.  As avaliações são realizadas de acordo com o temas estudados nas aulas digitais. 

EAD

No ensino a distância, os alunos assistem aulas (assíncronas) em qualquer lugar ou horário. Os conteúdos ficam disponíveis por meio de videoaulas previamente gravadas. 

As turmas têm, geralmente, um único tutor, que pode ou não estar disponível a qualquer momento. O cronograma e as avaliações são padronizadas e corrigidas pelo sistema da plataforma EAD. 

O conteúdo também é padrão, não sofre adaptações e é distribuído da mesma forma para todos os alunos que acessam o sistema. 

Desafios da educação remota

Um dos maiores desafios da educação remota, no Brasil, é que uma parte da população ainda não tem acesso a computadores e à internet.  Além disso, a pandemia trouxe a necessidade da adaptação imediata de professores e alunos ao novo formato, que não fazia parte da rotina escolar. 

Dessa forma, o novo cenário também causou estresse e sobrecarga de trabalho para alguns professores. É comum relatos sobre dificuldades com o uso de novas tecnologias e a pressão psicológica para cumprir as 800 horas obrigatórias determinadas pelo MEC.  

Uma pesquisa do Instituto Península, divulgada em maio, intitulada “Sentimento e percepção dos professores brasileiros nos diferentes estágios do Coronavírus no Brasil”, apontou que cerca de 83% dos docentes se sentiam nada ou pouco preparados para o ensino remoto.

Dos mais de sete mil professores entrevistados, 55% afirmaram que não tiveram suporte ou capacitação durante a quarentena para assumir tarefas fora do ambiente físico, e 75% disseram que gostariam de ter recebido treinamento técnico

Já existem plataformas que oferecem esse tipo de assessoria, o SAS, por exemplo, possui uma solução de realiza consultoria pedagógica completa e personalizada. Clique aqui para saber mais!

Papel do professor nas atividades remotas 

No atual contexto de pandemia, além de ensinar, os professores exercem a função de liderar a manutenção do vínculo do aluno com a escola, mantendo vivo seu interesse e envolvimento com as atividades escolares. 

Como as atividades remotas podem sofrer eventuais interferências externas e ruídos de comunicação, é recomendável modificar a carga horária para otimizar o tempo entre estudantes e docentes.

Também cabe ao professor a elaboração de materiais que serão utilizados nos momentos assíncronos e síncronos, bem como definir prazos para a entrega de tarefas e acompanhar a evolução dos alunos. 

Papel da família 

A família tem a importante função de apoiar os estudantes na organização e disciplina para a realização das aulas em casa, e propiciar um ambiente adequado, que ofereça o mínimo de interferência possível.

Também é fundamental estabelecer um diálogo constante que reafirme o compromisso dos estudantes com as responsabilidades escolares.

Como elaborar um plano de aula nesse modelo?

Ao recorrer às atividades remotas, é importante reconhecer as diferentes maneiras de colocá-las em prática, considerando o perfil dos estudantes.

O plano de aula ideal para atividades remotas é aquele que mistura o uso de novas tecnologias com práticas pedagógicas, que ajudem a aumentar a autonomia e o engajamento do aluno, de preferência, as que utilizam metodologias ativas

Abaixo, separamos algumas sugestões e dicas para se adaptar às atividades remotas: 

  1. Use o ambiente virtual de sua preferência para realizar a comunicação:
  • Google Meets

É um programa do Google que permite agendar reuniões, fazer reuniões por vídeo, compartilhar arquivos e mandar lembretes pelo calendários 

  • Skype

Possui versão gratuita para até 20 usuários ou a opção Skype for Business, que possibilita até 250 participantes. 

  • Google Forms

Serviço gratuito do Google que permite criar formulários online, enquetes, pesquisas e provas à distância. 

  • Microsoft Teams

Oferecido gratuitamente para escolas durante a pandemia, permite organizar salas de aulas colaborativas.

  • Google Class Room

É uma ferramenta gratuita que faz o gerenciamento de vários tipo de atividade escolares, do conteúdo a organização das aulas e alunos.

  • WhatsApp 

O WhatsApp é gratuito e fácil de usar, pode ser usado para comunicações rápidas e envio de materiais também. 

  1. Escolha um encaminhamento metodológico para o plano de aulas:
  • Sala de aula invertida;

Nesta metodologia, também conhecida como flipped classroom, os alunos estudam o conteúdo previamente em casa, orientados pelo professor, e colocam o conhecimento em prática no momento da aula. 

  • Gamificação;

Bastante utilizada para superar o desinteresse do alunos, a gamificação sugere o uso de recursos de jogo, prontos ou não, para despertar o interesse, a criatividade e a concentração.

  • Plataformas que preparem esse tipo de conteúdo

Para introduzir as novas tecnologia em sala de aula e se adaptar aos novos tempos e emergências, é possível contar com o apoio de plataformas que oferecem soluções educacionais.

Entre as mais conhecidas do mercado, podemos citar o SAS Plataforma de Educação, que atende mais de 860 escolas em todo o Brasil.

  1. Conheça os métodos de avaliações possíveis

Existem três processos clássicos de avaliação:

Diagnóstica:

Utilizado para determinar o grau de entendimento do aluno antes de iniciar uma disciplina, curso ou o ano letivo. O docente pode fazer isso, por meio de um bate-papo ou formulários.

Formativa:

Identifica as deficiências que precisam ser sanadas para a aprendizagem de outros conteúdos. Nesse caso, é conveniente o uso de atividades interativas para aferir se os alunos estão realizando e compreendendo as tarefas.

Aprendizagem ou somativa

Avalia, no final do processo, se os estudantes compreenderam o conteúdo. 

Nas atividades remotas, é recomendável que o professor adapte os processos avaliativos, porque a realidade da sala virtual não é a mesma da presencial, por isso, é importante mudar as estratégias

  1. Proporcione dinâmica e motivação

A tecnologia é uma aliada do professor, que trabalha a fim de potencializar o processo de ensino aprendizagem nas atividades remotas, além de estimular o interesse dos alunos, como já foi dito acima.

É possível criar pontes com novas gerações, imersas no mundo tecnológico, com a utilização de ferramentas interativas simples e gratuitas, como blogs, vlogs, podcasts e vídeos.

Atualmente, essas estratégias também se tornaram opção de negócio para educadores. Alguns professores viraram, também, produtores de conteúdo e estão ganhando renda extra na internet.  

As redes sociais, sob supervisão educacional, também são ambientes dinâmicos e estimulantes para alunos. É possível montar, por exemplo, grupos de discussão, ambientes de pesquisas e divulgação de projetos da escola para o público externo. 

Quais atividades podem ser realizadas com crianças?  

Na educação infantil, o professor precisa lidar com um público que, mesmo em salas de aula presenciais, necessita de mais atenção e estímulo para manter a concentração.

Porém, não é aconselhável expor crianças às telas de celulares, tablets e computadores, por longos períodos. 

Os especialistas recomendam, apenas, o uso de vídeos curtos e rápidos. Entretanto, os professores podem propor diversas atividades que estimulem a criatividade e a psicomotricidade.

Um exemplo disso são os desenhos para colorir, experimentos científicos que podem ser feitas em casa, como a experiência do feijão, e brincadeiras, como a caça ao tesouro.

Nas datas comemorativas, os professores podem, ainda, solicitar pequenos vídeos para os alunos expressarem seu conhecimento.  

Como o SAS pode ajudar?

Se você e sua escola precisam de apoio para se adaptar às atividades remotas e aos novos tempos, o SAS pode contribuir com a sua experiência em produtos, serviços, conteúdo e tecnologia voltadas para a educação de excelência. Quer saber mais detalhadamente sobre essas e outras informações? Clique aqui e fale com nosso time de consultores.