O que as escolas aprenderam com a pandemia?

junho | 2020

Em mais um episódio do SAS Cast, coordenadoras pedagógicas o que as escolas aprenderam com a pandemia e compartilham suas experiências com as mudanças na rotina, detalhando os maiores aprendizados desse período e boas práticas, os desafios da adaptação do ensino remoto para o presencial e as estratégias para manter o vínculo entre professores e alunos. 

A Educação Básica como estávamos habituados vem sofrendo profundas transformações, por conta da paralisação das atividades presenciais nas escolas. Nesse sentido, torna-se necessário entender e compartilhar os grandes aprendizados dos coordenadores pedagógicos no dia a dia da gestão escolar durante este período, buscando avaliar quais são as principais lições que podem ser aplicadas no pós-pandemia e que serão úteis para a condução pedagógica daqui para a frente. 

Para aprofundar o tema e dar dicas de como as escolas podem aplicar os aprendizados da pandemia na retomada das aulas, o coordenador de Consultoria Pedagógica do SAS, Felipe Maciel, recebeu, em mais um episódio do SAS Cast, a coordenadora do Ensino Fundamental anos iniciais no Centro Educacional 1º Mundo, Renata Miranda, e a coordenadora de Integração na escola Santa Teresinha de Imperatriz, Mônica Marques.  

De acordo com Mônica, um dos maiores desafios para a gestão pedagógica da escola Santa Teresinha de Imperatriz, que também deve ter sido vivenciada por diversas escolas do Brasil e do mundo, foi a rapidez com que a instituição precisou desenvolver um modelo emergencial de ensino e aprendizagem, para que a sala de aula fosse adaptada ao modelo remoto com a ajuda da tecnologia. 

“Passamos por grandes desafios e dificuldades, desde que a paralisação das aulas presenciais foi decretada. A partir de então, demos início a uma rotina intensa de treinamentos com os professores e equipe pedagógica, aulas-testes com os professores, para que eles pudessem dar início às aulas on-line com um pouco mais de confiança. Além disso, acompanhamos a organização de todo planejamento para essas aulas, auxiliando a organização dos relatórios pedagógicos, promovendo reuniões virtuais com os pais, ou seja: realizamos muitas atividades de forma rápida e intensa.” 

Mônica ressalta, ainda, que o compromisso e a solidariedade dos docentes para com o novo momento, foi fundamental para os desafios fossem enfrentados com mais otimismo. “Percebemos que quem tinha mais afinidade com as tecnologias sempre se mostrava muito solícito para ajudar aqueles que não tinham tanto conhecimento da cultura digital. Além disso, os webinars para professores e gestores escolares, promovidos semanalmente pelo SAS, também nos ajudaram bastante nessa jornada”, completa. Outro aprendizado destacado pela coordenadora da escola Santa Teresinha de Imperatriz foi a forma de lidar com as dificuldades das famílias e dos alunos nesse processo de adaptação a uma nova rotina. 

Já para a coordenadora do Centro Educacional 1º Mundo, Renata Miranda, um dos grandes aprendizados foi colocar em prática a utilização de todos os recursos tecnológicos que a escola já possuía e conhecia, entendendo o papel de cada agente educacional nesse processo.  

“Nossa escola sempre investiu muito em inovações tecnológicas, com equipamentos de última geração, profissionais capacitados, laboratórios de informática, etc. Mas, apesar de nossos professores participarem de diversos treinamentos desde sempre, nós percebemos que, com a intensificação do uso da tecnologia no dia a dia escolar, a atuação deles na cultura digital era muito coadjuvante. Com a pandemia, com a necessidade do ensino remoto, eles passaram a protagonizar o uso da tecnologia.” 

Segundo Renata, a pandemia evidenciou a necessidade urgente do uso da tecnologia na Educação Básica, o que ainda representa um desafio muito grande, em especial, para os muitos professores que não nasceram na era tecnológica. “Num piscar de olhos, nossos professores tiveram que se reinventar e, meses depois, continuam se reinventando. A melhor parte é que eles gostaram de utilizar a tecnologia no dia a dia escolar e estão usufruindo bem de todo esse conhecimento tecnológico que estão construindo. Claro que foi desafiador de início, mas, hoje, eles já se sentem bem mais confortáveis e confiantes no uso dessas tecnologias”, afirma.  

A coordenadora do Centro Educacional 1º Mundo pontua que o papel fundamental dos gestores escolares, quanto ao uso da tecnologia nas escolas e diante desse momento de tantas mudanças.  “Precisamos aprimorar nossa utilização de recursos tecnológicos para darmos maior suporte pedagógico ao time, até mesmo do ponto de vista emocional. As famílias precisam muito de nós. Por isso, temos também buscado atender, de forma personalizada, a necessidade de muitos pais, pois sabemos que a utilização diária da tecnologia também representa um grande desafio para várias famílias”, reforça.  

Para as escolas que ainda estão enfrentando dificuldades para se adaptar a esse novo contexto, as coordenadoras deixam algumas dicas e aprendizados importantes

Gostou do conteúdo? Outros episódios do SAS Cast estão disponíveis no Spotify e no Soundcloud

Ficou curioso para entender o que o SAS pode fazer pela sua escola? Clique aqui e saiba mais. 

Autor do artigo

Veja também: