Atualizado em 15 de junho | 2021 por SAS

Quando se trata de novidades pedagógicas, a metodologia STEM aparece em destaque entre os pesquisadores da área. Ela é uma sigla em inglês que faz referência a quatro áreas do conhecimento: science (ciência), technology (tecnologia), engineering (engenharia) e mathematics (matemática).

A ideia do STEM, ou STEAM (no caso do método que acrescenta arte às quatros disciplinas anteriores), é oferecer um conhecimento interdisciplinar ao estudante, baseado no desenvolvimento de projetos.

Aqui, separamos as informações da metodologia STEM e sugerimos algumas formas de implantá-la na sala de aula. Acompanhe!

Histórico da metodologia STEM

A metodologia STEM busca trabalhar os conteúdos de forma interdisciplinar e envolvendo contextos do cotidiano.

A metodologia STEM surgiu nos Estados Unidos entre o final da década de 1990 e início dos anos 2000. Ela nasceu como uma iniciativa governamental para incentivar a carreira nas áreas de ciências, tecnologia, engenharia e matemática.

Nesse período, o país estava prestes a enfrentar uma crise econômica devido à falta de profissionais qualificados no campo das exatas.  Ao mesmo tempo, observou-se que o rendimento dos alunos vinha caindo nos sistemas de avaliação nacional. O cenário preocupou o governo, que temia perder sua vantagem competitiva mundial. 

Assim, começam as reformas curriculares e os investimentos na STEM education. O objetivo era aproximar os estudantes das áreas científicas, apresentando-as como algo divertido e aumentando a possibilidade da escolha de carreiras dentro desse campo.

A metodologia STEM, então, começou a ser adotada em escolas públicas e privadas dos Estados Unidos. Com o tempo, o conceito passou a ser utilizado em diversos outros países, incluindo o Brasil. 

Vale a pena conferir os livros:

·   STEAM em Sala de Aula, de Lilian Bacich e Leandro Holanda;

·   Aprendizagem baseada em projetos, de Willian N. Bender;

·   A docência em STEM, de Luciano Andreatta Carvalho da Costa;

·   365 Atividades STEM, de Mailza Barbosa;

·   STEAM Kids, de Anne Carey.

Quais os benefícios da metodologia STEM em sala de aula?

Quando o assunto são as vantagens da metodologia STEM, a principal delas é despertar o interesse de crianças e adolescentes pelas matérias que, em geral, são tidas como difíceis, por meio de projetos práticos. Dessa maneira, os alunos conseguem verificar a utilidade de cada conteúdo aprendido para situações cotidianas.

Outro benefício é o incentivo à criatividade e ao pensamento crítico, o que ajuda na solução de problemas complexos para além da sala de aula.

Também não se pode esquecer do desenvolvimento do protagonismo do estudante no processo de aprendizagem, pois ele é desafiado a buscar soluções por conta própria, sem receber respostas prontas do professor.

Falando no professor, a metodologia STEM oferece benefícios para o seu desenvolvimento profissional. Isso porque ele é estimulado a aprender de forma constante, além de ter mais liberdade na hora de montar o planejamento acadêmico.

Metodologia STEM  e a aquisição de conhecimentos de forma interdisciplinar

Soluções de problemas com pesquisa, inovação e pensamento crítico são os objetivos da metodologia STEM.

A metodologia STEM prevê que o estudante enxergue os conteúdos de ciências, tecnologia, engenharia e matemática de modo integrado.

Por exemplo, uma fórmula de álgebra não terá sua aplicação limitada a apenas a matemática. Muito pelo contrário, o aluno poderá utilizar esse conhecimento para resolver algum problema de robótica ou de biologia. Assim, o estudante percebe que os conteúdos aprendidos conversam entre si. Isso faz com que o processo de aprendizagem faça muito mais sentido do que quando ocorre isoladamente.

Lembre-se, no entanto, que nem sempre será possível relacionar as quatro áreas do conhecimento de modo simultâneo.  Porém, é importante que seja desenvolvido o máximo de conexão entre, pelo menos, duas delas.

Outro exemplo de aplicação prática é trabalhar programação com alfabetização. Por meio do Scratch, você pode ajudar as crianças a criarem uma animação virtual para cada letra do nome delas. O SAS preparou um material exclusivo, com ideias práticas para a alfabetização interdisciplinar e divertida, clique aqui e confira!

Trabalhar conhecimentos aplicáveis à vida real com a metodologia STEM

A metodologia STEM funciona por meio de projetos práticos, que incentivam os estudantes a pensar os conteúdos escolares no cotidiano. Assim, é interessante pedir para que eles reflitam sobre os problemas e soluções da própria escola, em questões como, por exemplo, o reaproveitamento de água, que demanda conhecimentos de física, química, matemática e tecnologia.

Quando os conteúdos estão relacionados ao cotidiano dos estudantes, a aprendizagem torna-se muito mais rápida e eficiente. Afinal, ela desperta interesse para além do momento da aula, o que dificilmente ocorre quando a disciplina é apenas expositiva e sem conexão com o mundo real.

A metodologia STEM está relacionada também à cultura maker, ou faça você mesmo. Assim, a criança e o adolescente são estimulados a resolver desafios, o que  os coloca o aluno como protagonistas do conhecimento.

Preparo para o mercado de trabalho: o que a STEM oferece?

A metodologia STEM auxilia o estudante no seu Projeto de Vida.

Na metodologia STEM, os estudantes extrapolam os conteúdos acadêmicos, desenvolvendo habilidades que são importantes para o seu Projeto de Vida. Algumas habilidades são:

  • Aprender a trabalhar em equipe, pois cada aluno compreende a importância do outro para o desenvolvimento final de uma tarefa;
  • Desenvolver a criatividade e o pensamento crítico diante dos problemas;
  • Melhorar a forma de comunicação;
  • Adaptação a diferente situações;
  • Transforma o aprender em uma atividade prazerosa.

Essas são aptidões são requeridas pelo mercado de trabalho, basta olhar as descrições de vagas de empregos ou dinâmicas de grupo. De acordo com o relatório The Future of Jobs Employment, Skills and Workforce Strategy for the Fourth Industrial Revolution, publicado em 2016, os empregos dos setores de ciência e tecnologia aumentaram 24,4% ao longo dos dez últimos anos. Já a oferta para outras áreas cresceu apenas 4%.

A metodologia STEM coloca o estudante na linha de frente desse mercado de trabalho, preparando-os para o mundo profissional do século XXI.

Como você pode implantar a metodologia na sua instituição?

A metodologia STEM aumenta os desafios e coloca o estudante como protagonista no processo de aprendizagem.

Agora você já sabe o que é a metodologia STEM e suas vantagens para o aprendizado acadêmico e o futuro profissional de crianças e adolescentes. Então, surge a seguinte dúvida: como colocar em prática esse sistema na escola? Será que é necessário realizar grandes investimentos e adaptações?

Bem, tudo vai depender da estrutura que a instituição de ensino e do processo pedagógico que ela adota. A metodologia STEM se baseia muito mais em investimentos nas mudanças do modelo de ensino e ações pedagógicas, do que propriamente em ferramentas tecnológicas. 

É claro que mais recursos, como uma impressora 3D ou um óculos de realidade virtual, darão mais possibilidades, mas não são essenciais.

Reflita sobre a metodologia utilizada na sua escola

O primeiro passo para propor uma mudança é conhecer todos os detalhes da metodologia atual da escola. Reuniões com os professores e coordenadores podem ajudar a entender como são as práticas pedagógicas e quais as vantagens e desvantagens de cada uma delas.

Vale a pena ainda conversar com as famílias e os alunos para descobrir como eles se sentem sobre o processo de aprendizagem e o que gostariam de mudar.

De posse de todas as informações recebidas, é hora de analisar quais modificações devem ser feitas. Em alguns casos, basta apenas fazer ajustes na estrutura da sala de aula para que os estudantes possam trabalhar em grupos criativos.

Todavia, pode ser que a escola precise adquirir também novos materiais pedagógicos, como livros e apostilas. Ou tenha que investir em programas de informática ou ainda montar laboratórios de ciências no colégio. Lembre-se: o importante na metodologia STEM é trabalhar as disciplinas de modo interdisciplinar, com os recursos que a instituição dispõe no momento e ir ajustando a metodologia com o tempo.

Formação continuada do corpo docente

Formação continuada dos educadores: ponto chave da metodologia STEM.

Algo essencial na hora de implantar a metodologia STEM em uma escola é a formação continuada dos professores. 

O dinamismo e interdisciplinaridade da metodologia STEM exigem que o docente esteja constantemente atualizado e por dentro das inovações. Para que assim ele desenvolva mais facilmente projetos instigantes, que despertem o interesse dos estudantes.

A própria escola pode promover cursos de aperfeiçoamento. Contudo, o mais indicado é buscar locais que sejam especializados nesse tipo de capacitação ou buscar parcerias com outras instituições.

O FOCOS, por exemplo, é uma plataforma desenvolvida pelo SAS Educação totalmente direcionada para a formação continuada de professores. Por meio de cursos on-line, o docente pode estudar de qualquer lugar e no horário que for mais conveniente.

A metodologia STEM utiliza de uma aprendizagem criativa, que coloca gestores, professores e alunos para trabalhar em conjunto, dando ênfase na inovação, criatividade e resolução de problemas.

Outras soluções oferecidas pela SAS Educação podem ajudar muito nesse processo, pois oferecem consultoria, plataformas de comunicação, cursos e materiais didáticos, que proporcionam experiências de ensino-aprendizagem completas.

Clique no banner abaixo para entrar em contato com os nossos consultores e saber mais informações!