Atualizado em 2 de junho | 2021 por SAS

Como você ensina seus alunos a ler e escrever? Sua escola já investe nas atividades lúdicas da alfabetização divertida para facilitar a aquisição do conhecimento? Se você ainda se sente perdido dentro desse universo, esse texto chegou para descomplicar a sua vida. 

Aqui, vamos dar dicas de práticas pedagógicas que chamem a atenção das crianças, com ênfase na aprendizagem criativa. Acompanhe os próximos tópicos. São ideias simples, mas bem dinâmicas, que podem ser trabalhadas tanto na sala de aula presencial, quanto nos ensinos híbrido e remoto. Venha com a gente!

Fases da alfabetização

A alfabetização divertida pode ser uma grande aliada do educador no processo de ensino-aprendizagem.

Antes de pensar em qualquer atividade lúdica para utilizar com sua turma da Educação Infantil, é importante identificar em qual fase de alfabetização as  crianças estão. Isso vai ajudar você a escolher a melhor abordagem para facilitar o aprendizado.

Para verificar em qual nível os seus alunos estão inseridos, o ideal é trabalhar com jogos, contação de histórias ou outras atividades divertidas. Assim, além de medir o aprendizado, você verifica a noção de mundo que cada criança já possui, bem como quais são seus gostos pessoais.

De acordo com Emilia Ferreiro, pesquisadora argentina de linguística, a alfabetização infantil ocorre em cinco etapas distintas, elas são: 

  1. Pré-silábica

A criança ainda não consegue identificar as letras como representantes da linguagem oral. Muitas vezes, pensam as letras como desenhos.

  1. Silábica sem valor sonoro

Nesta etapa, a criança consegue perceber que as palavras são divididas em sílabas. Mas não fazem relação dessa separação com os sons reais das letras.

  1. Silábica com valor sonoro

Além da ideia de separação silábica, a criança já consegue fazer a associação da letra com o som. Contudo, essa relação, geralmente, é com o fonema mais forte. Ou seja, ela ainda não fala a sílaba por inteira, mas apenas uma das letras que a compõem.

  1. Silábica alfabética

Neste estágio, a criança percebe que a junção de letras é que dá o som da sílaba. Assim, já consegue ler de forma mais estruturada.

  1. Alfabética

A fase alfabética é a última que a criança atinge quando está aprendendo a ler e escrever. Aqui, ela compreende que cada letra tem um som e escreve as palavras usando isso como base, mesmo que com erros ortográficos.

Por que alfabetizar as crianças de forma divertida?

A alfabetização pode ser divertida quando o processo de ensino-aprendizagem utiliza atividades lúdicas. Assim, as crianças podem aprender brincando.   

Ao utilizar a alfabetização divertida, você consegue prender a atenção dos pequenos, motivá-los e tornar natural a aquisição de conhecimento. Tendo isso em mente, podemos ainda citar como vantagens dessa abordagem:

  • Reforço e fixação do aprendizado;
  • Desenvolvimento de uma memória positiva sobre o conteúdo;
  • Desenvolvimento da criatividade;
  • Conhecimento construído de modo colaborativo;
  • Melhoria da coordenação motora;
  • Melhoria da concentração;
  • Socialização.

Como a alfabetização divertida contribui com as práticas da BNCC?

A Base Nacional Curricular Comum (BNCC), além de prever em suas diretrizes que toda criança tem o direito de brincar, também especifica que o processo de alfabetização começa na Educação Infantil e segue até o segundo ano do Ensino Fundamental.

De acordo com o BNCC, ao final do segundo ano, a criança deve ser capaz de:

  • Associar as letras aos seus respectivos sons;
  • Conhecer todo o alfabeto português;
  • Identificar as palavras em formato cursivo, maiúsculo e minúsculo;
  • Diferenciar desenhos de letras;
  • Perceber que a escrita representa o som da fala e aplicar essa representação.

Com os objetivos do BNCC em mente, nada melhor do que unir o lúdico com a aprendizagem e oferecer uma alfabetização divertida aos alunos, concorda? Por isso, reunimos algumas ideias de atividades para inspirar qualquer escola.

Ideias criativas para uma alfabetização divertida

A alfabetização divertida é algo possível e positivo para a escola. Contudo, entender isso na teoria não é o suficiente para aplicar em sala de aula, por isso que muitos professores ficam perdidos na hora de trabalhar o letramento de forma lúdica.

Afinal, quais brincadeira podem ser usadas para alfabetizar? Como conciliar diversão e aprendizagem? A seguir, selecionamos as melhores ideias para uma alfabetização divertida

Músicas

Faça uma roda com as crianças e cante músicas que apresentem as letras do alfabeto em sequência e a separação silábica. Além disso, por meio de rimas, por exemplo, você pode trabalhar a consciência fonológica.

Cores

A associação de cores à alfabetização divertida é uma prática simples e vantajosa para a aprendizagem.

Crianças adoram colorir. Que tal pegar letras do alfabeto vazadas e pedir para os pequenos pintarem cada uma delas? 

Outra possibilidade é colocar uma imagem com a palavra que a representa e pedir para os alunos colorirem letras específicas ou sílabas. Ao utilizar a associação cor-letra, você consegue fazer com que a criança perceba a diferença entre signos e símbolos.

Jogos

Existem vários jogos que você pode utilizar para a alfabetização divertida. Boas opções são caça-palavras, jogo da memória e palavras cruzadas.

Dia do brinquedo

Em um determinado dia da semana, peça para as crianças levarem para a escola seu brinquedo preferido ou mostrarem na videoaula (no caso da aula on-line).

A partir desse item afetivo, trabalhe com elas a identificação das letras do alfabeto e seus sons, bem como o reconhecimento de palavras. Tudo isso usando as partes do brinquedo, ou seja, a roda de um carrinho, o braço da boneca, etc.

Mascote da alfabetização

Associe o processo de aprendizagem do alfabeto a um animal (abelha, sapo, gato, tartaruga ou qualquer outro). Esse bichinho será o mascote da alfabetização, você pode utilizá-lo no início de cada atividade ou estimular as crianças a tirarem dúvidas sobre as letras e sílabas com ele. Criando, assim, uma conexão emocional benéfica para o aprendizado.  

Cartaz com alfabeto

Esta é uma atividade extremamente simples: usando materiais como cartolina, E.V.A., massinha, giz de cera, glitter, etc, construa com os alunos as letras do alfabeto. 

Nessa atividade, as próprias crianças escolhem, como protagonistas, qual o melhor lugar para o alfabeto ficar na sala de aula. Além disso, o educador pode expandir a atividade, se cada criança segurar uma das letras, elas podem se movimentar criando sílabas e palavras, ou colocando as letras em ordem alfabética.

Trilha das sílabas

Todo mundo gosta de jogo de tabuleiro: aposte na alfabetização divertida usando as palavras no jogo.

Faça uma trilha de papelão, como se fosse um jogo de tabuleiro, e coloque no chão. A seguir, ponha várias palavras em um saco e peça para a criança retirar uma aleatoriamente. 

A partir daí, ela deve andar no tabuleiro a quantidade de casas referentes ao número de letras ou de sílabas que compõem a palavra.

Cantinho da leitura

Reserve um espaço na sala de aula, no jardim da escola ou crie um cenário, no caso da aula, apenas para o momento das histórias. Leia com as crianças algum livro e chame-as para participar da leitura.

Consciência corporal

Você também pode trabalhar a consciência corporal junto com o processo de alfabetização divertida. Para isso, contorne os pequenos com giz de cera e peça para que eles pintem as partes do corpo, trabalhando os nomes, letras e sílabas de cada área.

Passeios

Passeie com as crianças pela escola e brinque com elas de “qual é o nome?”. Ou seja, quando virem algum objeto, planta ou animal, pergunte qual palavra o representa, quantas letras e sílabas possuem essas palavras.

Alfabetização divertida e os ensinos híbrido e remoto

Nos ensinos híbrido e remoto, o maior desafio dos professores é fazer as crianças manterem a concentração nos processos de aprendizagem. Quando falamos da Educação Infantil, esse desafio é ainda maior.

Isto porque, na sala de aula, a criança encontra uma interação emocional e sensorial bastante intensa, o que, em algum nível, já torna a alfabetização mais divertida. Ela tem contato direto com o professor e conversa com os colegas de classe. Isso estimula seu desenvolvimento cognitivo e desperta curiosidade.

Quando a educação passa para o mundo virtual, essa interação diminui e pode deixar os alunos entediados e até mesmo tristes. Nesse cenário, a alfabetização divertida surge como uma estratégia para reduzir esses problemas.

Usando jogos e brincadeiras, os pequenos conseguem se envolver nas atividades propostas pelos professores, bem como entreter-se de diferentes maneiras. Aqui, a escola pode aproveitar todos os recursos digitais disponíveis para trabalhar o lúdico nas aulas. 

Vale a pena pedir para os alunos encontrarem na própria casa objetos que possam ser usados nos jogos de alfabetização divertida virtuais. Deixe a criatividade fluir!

Se a escola quer unir jogos, tecnologia e educação, o SAS tem a melhor solução. Confira o conteúdo Gamificação: implemente em 7 passos.

Traga a família para o jogo!

A alfabetização divertida fica ainda mais divertida com quem a gente ama.

Lembre-se que o apoio da família contribui bastante para o aprendizado das crianças e é essencial em todas as modalidades de ensino. Sendo assim, coloque os pais como parceiros no processo de alfabetização. No ensino virtual, proponha atividades que favoreçam a interação com os familiares, como uma contação de história ou jogo de identificar objetos pela casa.

Vale a pena ler rótulos de alimentos, realizar a lista de compras juntos ou mesmo utilizar a decoração do ambiente para promover a alfabetização. Uma boa ideia é decorar o quarto com letras e relacioná-las com o nome da criança ou seus personagens favoritos.

Aprender a ler e escrever é um processo que expande o mundo das crianças, despertando muitos desafios. Assim, a alfabetização divertida é a melhor maneira de tornar essa aprendizagem mais leve e natural, favorecendo a fixação do conteúdo.  

O SAS tem diferentes materiais didáticos para facilitar o dia a dia do educador que quer utilizar jogos na Educação Infantil, confira todos eles em nosso portal.

Agora, se suas dúvidas forem sobre como trabalhar a alfabetização no sistema híbrido, vale a pena conferir o nosso material Ensino híbrido: alfabetização e letramento na Educação Infantil.

Entre em contato com nossos consultores especialistas a qualquer momento, o SAS sempre tem uma solução para a sua escola.