Atualizado em 21 de outubro | 2020 por SAS

A educação tem um papel fundamental para promover as mudanças necessárias na sociedade, transformar a vida das pessoas e fortalecer a democracia de um país.

Nesse contexto, a mediação de conflito em ambientes escolares é uma peça-chave para a construção de um mundo mais pacifício, onde a resolução de problemas aconteça por meio do diálogo e não da violência. Além disso, é, também, papel da escola educar promovendo uma cultura de paz, desenvolvendo nos alunos senso crítico e capacidade de lidar com as diferenças

A falta de entendimento do(a) gestor(a) escolar sobre os conflitos nas relações que se estabelecem nas instituições de ensino pode gerar ruídos na comunicação com professores, pais e toda a comunidade escolar.  Desta forma, é responsabilidade dele(a), principalmente, liderar a mediação de conflito e contribuir para desenvolver na equipe de trabalho habilidades de negociação

Quando a escola investe em projetos de mediação de conflito, os alunos se sentem mais acolhidos e desenvolvem habilidades e competências socioemocionais. É válido ressaltar que, com a regulamentação da BNCC, a educação socioemocional passou a fazer parte do currículo das escolas, sendo um motivo a mais para a implementação da mediação de conflito na instituição.

Quer saber mais sobre como funciona a mediação de conflito na escola? Continue com a leitura! 

O que é mediação de conflito?

A mediação de conflito pode ser considerada um método em que um ou mais indivíduos facilitam, de maneira neutra e imparcial, a comunicação entre pessoas com opiniões divergentes

Na mediação de conflito na escola, o mediador utiliza um conjunto de estratégias de negociação e de prevenção à violência para criar um ambiente de diálogo entre alunos, pais e professores. 

É importante que toda a escola possua uma equipe especializada para fazer a mediação de conflito de forma adequada. Para isso, o gestor escolar deve estimular a formação de mediadores com o apoio de especialistas no assunto.

Outra medida eficaz para trabalhar a mediação de conflito na escola é inserir conteúdos, de forma transversal, na grade curricular. Esses conteúdos devem provocar uma reflexão sobre bullying, cyberbullying e casos de violência física e verbal dentro e fora da escola.

Vantagens da mediação de conflitos em ambientes escolares 

A mediação de conflitos, além de prevenir qualquer tipo de comunicação violenta, também auxiliar o aluno a desenvolver autocontrole e pensamento crítico.

A mediação de conflito na escola é uma potente ferramenta pedagógica que prepara os estudantes para resolverem seus problemas com autonomia. Os alunos que participam de projetos de mediação de conflito na escola também desenvolvem mais resiliência para tolerar as frustrações e adversidades que a vida apresenta. Também aprendem a analisar cada situação antes de reagir.  

Ao propiciar um ambiente seguro e neutro para os alunos expressarem o que pensam e sentem, a escola torna-se um ambiente mais saudável, no qual a empatia entre estudantes e professores é estimulada. 

Os professores também são beneficiados, pois eles têm a oportunidade de refletir sobre a raiz do conflito e quais as melhores soluções a serem tomadas. Com isso, podem melhorar a comunicação com os alunos e investir mais atenção nas suas tarefas pedagógicas.  

Entre os principais objetivos de um programa de mediação de conflito na escola estão: 

  • Desenvolver habilidades para a resolução de problemas de forma apropriada;
  • Transformar a sala de aula em um local de conforto e de livre expressão;
  • Construir um ambiente de cooperação entre comunidade e escola;
  • Otimizar a relação entre estudantes e professores.

Modelos de mediação

Existem 6 modelos de mediação de conflito. Confira cada um deles e analise qual a melhor opção para trabalhar o problema da sua escola com eficiência:

Círculos de paz

Também conhecidos como círculos restaurativos, esse modelo promove encontros dos quais participam toda a comunidade escolar para que, juntos, busquem soluções para os conflitos escolares do dia a dia. 

  • Mediação em rede

Neste modelo, constitui-se uma rede externa de mediadores especializados no assunto. Podendo ser educadores, psicólogos e psicopedagogos, que atuam em regime de colaboração com outros participantes da escola. 

  • Professor mediador

Este modelo é bastante utilizado, uma vez que os docentes são capacitados para atuarem como mediadores. 

  • Estudante mediador

A escola elege estudantes para fazerem a mediação de conflito na escola quando necessário. Para isso devem receber treinamento e desenvolver habilidades de comunicação.

  • Modelo professores-alunos

Essa forma de mediação de conflito divide a responsabilidade de intervenção entre alunos, professores e funcionários da instituição. Os estudantes também são capacitados, porém, apenas os docentes podem intervir.  

  • Programa de Competência Social

Essa é uma ideia desenvolvida pela comunidade da Catalunha que tem como foco desenvolver a inteligência emocional dos alunos para melhorar a convivência e diminuir os fatores de conflitos. 

Tipos de conflito na escola

O ambiente escolar deve ser um ambiente confortável para todos, por isso, trabalhar com a mediação de conflitos na escola é tão importante.

O ambiente escolar deve ser um ambiente confortável para todos, por isso, trabalhar com a mediação de conflitos na escola é tão importante.

A convivência no ambiente escolar pode gerar conflitos classificados de duas formas:

Conflitos Funcionais

Quando o conflito é Funcional, ele contribui para apontar novas ideias e soluções, fazendo com que a escola, ou uma organização, atinja seus objetivos mais rapidamente.   

Exemplo: Quando duas pessoas (seja aluno – professor / professor – professor) discutem sobre a melhor opção de atividade avaliativa, segundo a necessidade da turma. Desse modo, o resultado final será interessante para toda a organização, pois está cultivando a comunicação.

Conflitos Disfuncionais

Os Conflitos Disfuncionais são caracterizados pelo desperdício de tempo e energia, não ajudam no crescimento das pessoas e prejudicam o ambiente escolar. 

Exemplo: Numa situação que, por vaidade, um aluno menospreza o trabalho do outro, gerando um clima desarmônico e pesado dentro da sala/escola.

Possíveis causadores de conflitos 

Os conflitos não são necessariamente ruins, eles são inerentes às relações humanas e contribuem para estimular o senso crítico e a criatividade em grupos e organizações em geral.

Porém, alguns comportamentos podem ser gatilhos para disparar situações de conflitos. Entres alguns dos principais estão: 

  • Orgulho;
  • Competição;
  • Provocação;
  • Acomodação frente ao conflito;
  • Esquiva em relação ao problema.

Como implementar a mediação de conflitos na instituição?

Para criar um programa de mediação de conflito na escola, o primeiro passo é elaborar  um planejamento em sintonia com a realidade de cada unidade de ensino e os recursos disponíveis. 

Listamos abaixo algumas estratégias para implementar a mediação de conflito : 

  • Treinamento

Disponibilize treinamentos para a equipe da escola, de preferência, com profissionais especializados, como já mencionado.

  • Implantação

É importante registrar e documentar todo o processo de mediação de conflito, dividindo informações com a equipe e a comunidade escolar. O gestor deve estar aberto também a novas ideias, como o uso de novas tecnologias e práticas pedagógicas para essa finalidade.

  • Supervisão

Faça o monitoramento das ações e mensure os resultados. Crie um fórum online ou outro espaço para que todos os participantes possam se comunicar. 

  • Divulgação

Para que todos possam aderir à iniciativa, faça a divulgação dos motivos e objetivos do projeto. Use a tecnologia para isso, você também pode divulgar por e-mail marketing e nas redes sociais da escola, por exemplo. 

  • Reuniões

Marque reuniões de alinhamento com a equipe escolar e os pais para compartilhar resultados. Utilize os meios de divulgação da escola físicos e on-line para avisar a data. 

O que repassar por meio da mediação de conflitos ?

Os desafios da sociedade contemporânea estão cada vez mais complexos no que tange às relações humanas e à divisão do espaço comum. 

O mundo globalizado e os avanços tecnológicos, que encurtam as distâncias geográficas, exigem cidadãos com inteligência emocional e aptos a desenvolver relacionamentos saudáveis e construtivos.

Para isso, a educação para mediação de conflito ensina algumas habilidades: 

  • Controlar algumas emoções explosivas, como a raiva;
  • Usar linguagem e comportamento não ofensivos;
  • Expressar estrategicamente a emoção;
  • Reconhecer as próprias emoções;
  • Reconhecer as emoções alheias;
  • Respeitar os valores e crenças;
  • Falar sobre a emoção.

Sobre o SAS

O SAS, plataforma de educação, oferece conteúdo, tecnologia e serviços de excelência a escolas nos segmentos do ensino infantil ao ensino médio em mais de 860 escolas pelo Brasil. 

Quer saber como o SAS pode ajudar sua escola na missão de transformar pessoas por meio da Educação de Excelência? Clique aqui e fale com nosso time de consultores.