Como o isolamento social tem contribuído para ações de coletividade e empatia

junho | 2020

Em meio ao isolamento social, empresas, escolas e pessoas têm se engajado em correntes de solidariedade, com o intuito de amenizar a dor dos mais atingidos pela pandemia do coronavírus e ajudar a quem precisa. 

A pandemia pegou a todos de surpresa. Ninguém estava preparado para enfrentar a paralisação em massa de empresas, escolas, e outras atividades essenciais. E, é claro, alguns setores e indivíduos, sobretudo trabalhadores autônomos e pessoas de baixa renda, acabaram sendo mais atingidos pelos efeitos do isolamento social

Diante deste cenário, que poderia ter influenciado a maioria das pessoas a olhar mais intensamente para suas próprias dores e angústias, ações de solidariedade e empatia ganharam força no mundo todo, trazendo um pouco mais de conforto e apoio a grupos bastante impactadas pela crise do coronavírus.  

Um exemplo dessas ações realizadas no Brasil, foi o SAS Ao Vivo, uma iniciativa desenvolvida pelo SAS Plataforma de Educação. No ar desde o dia 20 de março, a ação consiste na transmissão de aulas gratuitas via YouTube, para alunos da Educação Infantil ao Ensino Médio. Totalmente sem custo para o aluno e disponível para qualquer estudante com acesso à internet, a iniciativa surgiu de forma inédita no país, com o objetivo principal de minimizar o impacto do fechamento de escolas. 

Estima-se que, aproximadamente, 47,9 milhões de estudantes da Educação Básica no Brasil, tenham sido atingidos pela paralisação das aulas presenciais, tanto em escolas da rede pública de ensino, como em escolas privadas, de acordo com um levantamento do Censo Escolar, feito no ano passado. Com isso, milhares de alunos com acesso à Internet encontraram nos conteúdos compartilhados diariamente pelo canal do SAS, uma forma de manter seus estudos em dia e ocupar sua rotina, durante a quarentena. 

Foi o caso de Maria Eduarda Krod de Souza, estudante do 5º ano do Fundamental, da rede pública de ensino no Ceará. Segundo ela, com o isolamento social e a paralisação das aulas presenciais na sua escola, as aulas do SAS disponibilizadas diariamente na internet foram fundamentais para que ela conseguisse manter os estudos em casa.

 “O conteúdo do SAS é muito bom para a minha aprendizagem, pois serve de reforço e me ajuda a resolver, por exemplo, as tarefas diárias da minha escola. Além das atividades passadas pelos meus professores, também contar com as aulas do SAS, me deixa ainda mais tranquila durante esse momento, pois me faz matar um pouco a saudade de estar em sala de aula com meus colegas”, explica. 

Maria Eduarda Krod de Souza, estudante da rede pública de ensino no Ceará, assiste o conteúdo do SAS Ao Vivo diariamente – Foto: Arquivo Pessoal

“Com o necessário isolamento, é papel de todos nós fazer parte da corrente de solidariedade que tem se formado em diversos segmentos. Nosso intuito com o SAS ao Vivo é replicar a rotina de uma escola, oferecendo aulas diárias, de todas as disciplinas, com conteúdo teóricos de excelência, exercícios e interações com o professor”, afirma o professor Ademar Celedônio, diretor de Ensino e Inovações Educacionais do SAS. 

E os resultados da iniciativa têm superado expectativas e atingido números impressionantes. Ao longo de dois meses, foram quase 7 milhões de visualizações no canal do SAS do YouTube, com mais de 800 mil horas de aulas assistidas e mais de 2 mil aulas gravadas. 

“Esse retorno só nos mostra o quanto faz diferença nos mobilizarmos para apoiar as famílias neste momento de isolamento social. Com essa ação, o SAS oferece gratuitamente o seu bem mais valioso, que é um conteúdo pedagógico de excelência, a qualquer um que tenha acesso à internet, seja por meio de um smartphone ou de um computador”, completa. 

Assim como o SAS, nossas escolas parceiras também foram contagiadas a realizarem ações de solidariedade e empatia, como foi o caso dos colégios Vivendo e Aprendendo e Raphael Di Santo, em São Paulo. Segundo a mantenedora Seviana Navarro, ela, juntamente com sua equipe, distribuiu 150 cestas básicas e 1.200 máscaras de tecido em bairros carentes de Campinas. As máscaras foram 100% confeccionadas por algumas professoras dos colégios e distribuídas pela equipe em pontos de maior concentração de pessoas, como paradas de ônibus, filas de banco, entre outros locais. 

Já com a proposta de trazer esperança e estimular o sentimento de união entre a comunidade escolar e as famílias, mesmo durante o período de isolamento domiciliar, as unidades do Centro Educacional Casa do Estudante em Itabatã e Mucuri, parceiro do SAS na Bahia, gravaram um clipe musical com seu corpo docente e outros funcionários, trazendo palavras de apoio e de afeto. Segundo o mantenedor e diretor administrativo da escola Marcos Santosa música foi escrita por um professor de inglês da instituição, que convocou todo seu time para participar do clipe diretamente de seus próprios lares. 

“Nesse tempo de afastamento social, nós sentimos a necessidade de ressaltar que não nos afastamos das famílias. Quisemos mostrar o quanto sentimos falta desse contato diário com os alunos e uns com os outros, passando uma mensagem de carinho e esperança. Como a própria letra da música diz, quisemos deixar claro que, quando esse tempo de ficar só na sua casa acabar, nós esperaremos por todos de volta na nossa casa, a Casa do Estudante”, ressalta a diretora pedagógica Luciana Araújo.  

Assista o clipe completo feito pelos professores e funcionários da Casa do Estudante, abaixo

E você, quais ações tem realizado em prol da sua comunidade? Compartilha conosco! Conte ao seu consultor pedagógico como o SAS impactou a vida do seu público escolar ou, ainda, como você e sua escola têm impactado a vida das pessoas da sua cidade. 

Clique aqui e fique por dentro das ferramentas e iniciativas do SAS para sua escola. 

Autor do artigo

Veja também: