Atualizado em 23 de novembro | 2020 por SAS

O incentivo à leitura, principalmente nos primeiros anos na escola, é essencial para que o aluno desenvolva habilidades de comunicação e escrita, que vão ajudá-lo a interagir, se expressar e conviver melhor em sociedade.

Além da comunicação e da escrita,  ao ler mais, o aluno desenvolve novas habilidades, como senso crítico, criatividade, memória e atenção, que servem como pontes para outras qualidades, entre elas, a autoconfiança e o engajamento educacional.

O incentivo à leitura pode acontecer em qualquer espaço que o aluno esteja inserido e deve ser feito, tanto por educadores, como pelos pais. Continue com a leitura e conheça alguns pontos importantes para que esse processo ocorra da melhor forma possível.

A importância do incentivo à leitura

Aqueles que leem mais contam com ferramentas cognitivas essenciais para interagir em sociedade, uma vez que a ampliam o repertório sobre temas variados.

Dessa forma, uma criança que recebe, desde cedo, o incentivo à leitura tende a ser, a curto e longo prazo, mais crítica e questionadora, uma vez que carrega um repertório já estruturado de informações e busca sempre conhecer mais, adquirindo mais experiências e, consequentemente, conseguindo opinar, escrever e raciocinar melhor, que são ótimas qualidades, não só na educação, mas no mercado de trabalho.

Ou seja, o incentivo à leitura é fundamental para desenvolver a capacidade intelectual e crítica no indivíduo, devendo se iniciar na infância. Crianças que não têm acesso à leitura podem apresentar, com frequência, um comportamento mais retraído.

Para que as crianças se sintam à vontade e leiam, é preciso de todo um auxílio pedagógico, no qual o responsável trará, de forma criativa, motivos para leitura; e comportamental, uma vez que é importante para a criança analisar que as pessoas ao seu redor também possuem este hábito. 

Como um guia para o processo, a escola deve investir em um projeto de incentivo à leitura, para auxiliar professores e pais.

O projeto de incentivo à leitura

O incentivo à leitura deve ser realizado, principalmente, dentro das escolas, mas a motivação deve ser provocada também em casa.

O projeto de incentivo à leitura deve contemplar as áreas de conhecimento determinadas pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Portanto, a proposta deve trazer atividades que estimulem a reflexão, a análise crítica e o contato com diferentes tipos de linguagem, incentivando a construção do saber.

Para criar um projeto de leitura efetivo, alguns pontos devem ser levados em consideração, tais como:

  • Objetivos

Verifique quais são os objetivos de aprendizagem para cada série e quais são as demandas psicológicas para cada faixa etária. A equipe gestora pode colaborar com a formulação do projeto, por meio de uma gestão democrática.

  •  Bibliografia

Em sequência ao alinhamento dos objetivos, a definição da bibliografia é fundamental, pois os livros a serem estudados serão uma âncora do projeto. Pode ser usado mais de uma obra, caso esteja dentro da temática do projeto.

  •  Traga atividades lúdicas

A atividades lúdicas envolvem mais as crianças e são uma forma de aprofundar os conteúdos, trazendo outras nuances que cercam o livro escolhido. Fazer um bate-papo por videoconferência com o autor é uma forma de diferenciar o projeto, assim como dar um toque especial à história.

  • Planeje bem

Um planejamento bem efetuado, contando com um cronograma detalhado,  é essencial para o sucesso das atividades. Mas não se esqueça de deixar uma brecha para acrescentar ou modificar algo, caso seja necessário.

Para além dessas dicas, existem plataformas educacionais que podem auxiliar, como o SAS, que possui um projeto de incentivo à leitura alinhado à BNCC. É por meio de um projeto desses que o aluno tem suas habilidades como leitor potencializadas.

Projeto de incentivo à leitura em casa

Segundo o Instituto Pró-Livro, 44% dos brasileiros não têm o hábito de ler, o que torna a mudança deste cenário necessária e urgente. Entretanto, a responsabilidade sobre a melhoria deste índice não deve recair apenas sobre as instituições de ensino.

A família tem, bem como a escola, responsabilidade na reversão deste quadro. Por isso, é necessário que os professores auxiliem os pais, com dicas de atividades para eles desenvolverem  em casa com seus filhos. Por exemplo:

  • Visite livrarias: um passeio nas livrarias, sebos e bibliotecas, é uma forma de incentivo à leitura, pois aproxima os pequenos de ambientes literários.
  • Utilize a tecnologia: tablets, celulares e aparelhos específicos de leitura podem ser aliados na formação de leitores. As crianças são nativas digitais e crescem inseridas no meio tecnológico, portanto, ler através de formatos diferentes pode incentivar a leitura.
  • Traga leituras interessantes: investigar os assuntos e tipos de livros que a criança mais gosta é uma ótima forma de incentivo à leitura. O mercado oferece opções variadas que vão, desde livros de literatura adaptados, até histórias em quadrinhos.
  • Seja exemplo: as crianças têm o hábito de reproduzir aquilo que aprendem dentro dos ambientes em que convivem. Dessa maneira, uma família que possui uma rotina de leitura, certamente, estará motivando os pequenos a lerem também.

Papel do professor nesse processo

O papel do professor no incentivo à leitura é muito importante, justamente, porque é na escola que a leitura é mais trabalhada. Além disso, é onde ocorrem os momentos mais ricos para um possível despertar do aluno para o universo literário. 

Veja alguns caminhos importantes para tornar a leitura mais atrativa:

Contar histórias

Os primeiros anos na escola são decisivos para firmar o gosto literário nos pequenos. É importante que o professor envolva os alunos nas histórias sempre que se propuser  a contá-las. 

Uma ideia interessante é organizar eventos temáticos, como a Semana das Fábulas, preparando livros, períodos e atividades específicas para trabalhar o tema.

Usar mídias digitais

Conectar as mídias digitais com os livros pode ser uma excelente maneira de potencializar o incentivo à leitura. Um exemplo disso são os filmes feitos a partir da adaptação de obras literárias. 

Uma possível atividade para isso é a criação de uma peça de teatro a partir da leitura, que deve ser filmado e disponibilizado num blog específico da turma.

Organize a biblioteca

A biblioteca não deve ser um depósito de livros, mas um ambiente aconchegante. É importante manter o local sempre limpo, organizado, em silêncio e com detalhes atrativos para os leitores, como cartazes e desenhos, livros em destaque, colaborando para o incentivo à leitura.

Crie um clube de leitura

Funciona como uma socialização e uma troca de ideias, auxiliando, tanto na comunicação, quanto na criatividade. Dentro do clube, podem haver troca de livros, momentos de discussão e horários de encontros extraclasse para alunos maiores.

Dicas para realizar o incentivo à leitura

Auxiliar os alunos por meio do incentivo à leitura é mais um dos papéis tão importantes que o professor tem na sociedade.

Dados sobre os hábitos da leitura, trazidos pelo Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (PISA), indicam que 49% dos estudantes, no Brasil, em torno dos 15 anos possuem desempenho fraco em leitura.

Para mudar isso, o incentivo à leitura deve ser iniciado antes da alfabetização, no intuito de gerar familiaridade com os livros, criando uma conexão dos alunos com este hábito. Esse incentivo deve ocorrer com bastante dedicação durante e após a alfabetização, pois são etapas e bibliografias diferentes para níveis e faixa etárias distintas.

Além dos pontos já trabalhados anteriormente, seguem algumas dicas extras para o incentivo à leitura:

  1. Leitura dramatizada: fazer com que os alunos interpretem e explorem a leitura de um texto, apresentando-o em forma de dramatização, é muito enriquecedor, pois trabalha habilidades, como expressão, colaboração e socialização.
  2. Leitura compartilhada: excelente para desenvolver  respeito, autocontrole e  atenção. A leitura compartilhada pode ser feita em conjunto com a turma, em grupos, pares ou de forma individual, conforme a idade e o número de alunos em sala de aula.
  3. Debates e discussões: promove o senso crítico sobre o texto lido ou sobre a história contada, no caso dos mais pequenos. Pode ser feita em qualquer faixa etária e é excelente para gerar reflexão, além de fomentar o respeito pelas opiniões alheias.
  4. Utilização de quadrinhos e gibis: chama a atenção da criança para formas diferentes de leitura oferecendo a ela uma variedade maior de gêneros literários. Os gibis e quadrinhos, geralmente, trazem elementos da realidade da criança, o que gera uma identificação.
  5. Produção de histórias a partir da leitura: produz uma articulação de ideias e promove um desafio, pois a criança precisa buscar, através das palavras, novos formatos de recontar uma história que já existe. Articula a imaginação e também desenvolve a criatividade.
  6. Mídias digitais: explorar os recursos tecnológicos e ensinar como buscar fontes confiáveis de leitura são  premissas da BNCC. Dentro da web, é viável encontrar vários projetos interessantes para explorar.

Agora, você já possui bastante informação sobre como realizar um bom incentivo à leitura na sua escola.  Que tal colocar em prática?

Para saber como a plataforma do SAS pode ajudar sua escola na missão de transformar pessoas por meio da Educação de Excelência, clique aqui e fale com nosso time de consultores.