Atualizado em 25 de fevereiro | 2022 por SAS

A sustentabilidade é um tema muito importante e atual, pois trata-se de um movimento em busca do desenvolvimento da sociedade de forma que não se esgotem os recursos naturais. Nas mídias, nas conversas cotidianas e na ciência, a sustentabilidade é um tópico urgente. 

Pensando nisso, é necessário que passe a se debater a sustentabilidade na escola com a mesma iminência, tornando o avanço sustentável do planeta uma pauta recorrente na vida dos alunos.

A função social da escola, de formar cidadãos responsáveis, conscientes e participativos, reafirma ainda mais a importância de garantir uma boa educação sustentável para com a comunidade escolar.

Quer entender um pouco mais sobre a abordagem sustentável e como inserir a sustentabilidade na escola e no seu projeto político pedagógico? Então, continue com a gente!

Qual a importância do desenvolvimento sustentável na escola?

Implementar a sustentabilidade na escola é formar cidadãos conscientes e ativos por um mundo melhor.

A premissa da sustentabilidade é buscar o equilíbrio entre os recursos naturais disponíveis em nosso planeta e a exploração deles, feita pelo ser humano, em prol do desenvolvimento econômico. Desta forma, entende-se que a sustentabilidade procura valorizar o meio ambiente, preservando seus recursos, ao mesmo tempo que lida com as necessidades de desenvolvimento para prover qualidade de vida à população.

Mas, ainda assim, a escassez dos recursos naturais já é uma realidade. Isso porque, os processos de extração de recursos naturais são, em sua maioria, invasivos e causam a degradação do planeta. 

Por isso, é necessário inserir a sustentabilidade na escola a partir de reflexões sobre essa extração e a importância de repensá-la, buscando alternativas menos agressivas ao planeta. Pois, só refletindo sobre isso desde a infância, é que se formam adultos mais conscientes e responsáveis.

Abordar a sustentabilidade na escola também é importante para o desenvolvimento socioemocional do estudante, trabalhando valores e habilidades como empatia, ética, responsabilidade, resiliência, trabalho e colaboração em equipe, criatividade e capacidade de adaptação frente a mudanças e obstáculos.

Segundo a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), elaborada pelo Ministério da Educação e Cultura, a educação socioemocional já deve fazer parte do currículo das escolas. E as competências que passam a fazer parte do projeto pedagógico, segundo a BNCC, são o autoconhecimento, o autogerenciamento, a tomada responsável de decisões, as habilidades de relacionamento e a consciência social.

Com a sustentabilidade na escola, investimos na formação de jovens cidadãos conscientes e qualificados para mediar melhorias, tecnologias e inovações sustentáveis, com capacidade de tomar decisões melhores para o futuro, considerando o contexto social, sua historicidade e potências de transformações do agora.

Como podemos contribuir com a sustentabilidade na escola?

Procurando dicas para implementar a sustentabilidade na escola? O SAS Plataforma de Educação te ajuda!

Apesar do primeiro passo para o ensino da sustentabilidade na escola ser a inclusão da temática nos planos pedagógicos de ensino, para o desenvolvimento de uma escola capaz de ensinar sustentabilidade aos seus estudantes é de extrema importância que os professores e gestores estejam engajados na questão e aprendam sobre a temática. 

Assim como quaisquer outros conteúdos ensinados em sala de aula, é fundamental que o docente compreenda e acredite no conhecimento que está transmitindo, se envolvendo em projetos e ações socioambientais no ambiente escolar.

A partir disso, investir na interdisciplinaridade e multidisciplinariedade de temáticas socioambientais nos projetos pedagógicos são ótimas estratégias para consolidar a sustentabilidade na escola. 

Para isso, o ambiente escolar pode ser usado como meio para criação de atividades práticas. Quem sabe uma horta? Uma campanha de redução de plásticos nas escolas? O incentivo à separação do lixo e a responsabilização com o patrimônio escolar? Essas ações culturais são potenciais formas de trabalhar a sustentabilidade na escola.

Plano de ação para uma escola mais sustentável

A sustentabilidade na escola vai além de questões teóricas, é preciso colocá-la em prática.

Além dos conhecimentos teóricos, é necessário que a sustentabilidade na escola apareça de forma prática, trazendo o aluno para o papel de participante ativo nas práticas em busca de um desenvolvimento sustentável

Sabemos que a aplicação prática do conteúdo teórico aprendido em sala de aula auxilia na fixação do conhecimento. Da mesma forma, ao se tornar ator responsável, o estudante é capaz de absorver os ensinamentos acerca da sustentabilidade na escola com maior facilidade.

Trabalhando a sustentabilidade na escola com os alunos, a escola também se torna propagadora de informação para conscientizar a rede de pessoas em torno de cada estudante. Assim, o discente que aprende sobre desenvolvimento sustentável, suas práticas e conceitos, pode levar esses ensinamentos aos membros de sua família, a seus amigos, às redes sociais e outros ambientes dos quais faça parte.

É importante lembrar que, acima de tudo, a sustentabilidade é uma premissa sobre desenvolver a sociedade e as tecnologias sem explorar ou esgotar os recursos naturais. Por isso, as práticas sustentáveis devem ser economicamente suficientes, e também não devem agredir o meio ambiente. 

Portanto, ensinar habilidades e ações sustentáveis que possam ser implementadas pelos próprios alunos, diante de suas capacidades, é uma boa forma de abordar a sustentabilidade na escola e torná-los engajados na causa.

Ideias de projetos sustentáveis para escola

Crie hortas, separe e recicle o lixo, conscientize acerca do gasto de água e energia, são muitos os modos de implementar sustentabilidade na escola.

Separamos para você algumas ideias de como abordar a sustentabilidade na escola. Entenda o que mais faz sentido na sua escola e mão na massa!

  • Coleta e reciclagem de lixo: para começar, a escola pode implementar um sistema de coleta seletiva do lixo, ensinando aos estudantes a diferença entre o descarte e o aproveitamento do lixo orgânico e inorgânico, dividido entre plástico, vidro, metal, papel e orgânico. Após a coleta, os alunos podem também aprender sobre quais os melhores métodos de reciclagem para cada um dos tipos de rejeito.
  • Jornais ou produtos de comunicação: investir nas habilidades de comunicação é uma das estratégias que mais tem trazido resultados como ferramenta para discussão transversal da sustentabilidade nas escolas.
  • Reutilização dos materiais reciclados: a realização de um projeto em que os estudantes tenham contato com o resultado da reciclagem é uma boa forma de ensiná-los e desmistificar algumas ideias sobre materiais reciclados. Papéis reciclados, por exemplo, podem ser usados como rascunhos nas salas de aula.
  • Ensino de compostagem orgânica: os rejeitos orgânicos da escola também podem se tornar fonte de conhecimento caso a instituição de ensino desenvolva um projeto de compostagem, ensinando os alunos a transformar os resíduos em uma fonte de nutrientes necessários para o crescimento de novas plantas.
  • Horta orgânica: ter no ambiente escolar uma horta onde os próprios alunos possam plantar, adubar (inclusive, com os rejeitos orgânicos separados por eles mesmos), cuidar e colher os próprios vegetais para lanches e merendas, auxilia na conscientização da importância da qualidade dos recursos naturais para o crescimento de bons alimentos, além da possibilidade de também abordar questões como a alimentação saudável.
  • Conscientização acerca do uso de energia elétrica e água: esta é uma prática que muitas escolas já fazem. Lembrar os alunos da importância de desligar as luzes e os equipamentos eletrônicos quando não usados, e não deixar torneiras abertas ou gastar água de outras formas desnecessárias pode ser algo simples, mas que influencia na caminhada do jovem rumo ao pensamento sustentável.

Desenvolvimento de programas de desenvolvimento sustentável comunitário: instigar nos alunos o espírito humanitário também é interessante pois, além de desenvolver as habilidades socioemocionais, também desperta a coletividade necessária para o avanço sustentável.

4 dicas para uma gestão sustentável

A sustentabilidade na escola está para além da sala de aula, é preciso construir uma gestão sustentável.

Vimos durante o texto que a sustentabilidade na escola vai para além de implementar temáticas socioambientais nas aulas. Para que a educação sustentável seja efetivada, é necessário que faça parte da cultura organizacional  da escola. E, por isso, é tão importante que a gestão pense na sustentabilidade na escola e meios para tornar a gestão sustentável.

Para isso, preparamos 4 dicas para uma gestão sustentável nas escolas: 

  1. Estude as temáticas socioambientais

Antes de qualquer coisa, é importante o compromisso de entender como a sustentabilidade na escola é gerida. Compreendendo que temas são transversais,  quais as políticas nacionais e internacionais, os editais de apoio financeiro, entre outras questões que passam desde a administração até as questões operacionais, de infraestrutura, estruturais, pedagógicas, etc.

Quais medidas são consideradas sustentáveis? Como agir com impacto responsável e incentivar a comunidade escolar a se engajar?

Uma dica de ouro é conhecer a Agenda 2030, proposta pela ONU (Organização das Nações Unidas), principalmente no que tange o ODS 4 – Educação de Qualidade.

  1. Conheça exemplos de gestão escolar

Muitas escolas já possuem a sustentabilidade como pilar de gestão, e é sempre bom partir de alguma referência, não é? Pesquise escolas que implementam a gestão sustentável e se inspirem, adaptando modelos para sua realidade escolar. 

  1. Traga a comunidade escolar para o processo

Gerir os processos de gestão sustentável pode parecer uma tarefa difícil, por isso é importante que toda a comunidade escolar faça parte! Afinal, não adianta ensinarmos na escola a separação de lixo e nas casas dos estudantes isso não ser praticado ou incentivado. 

Trazer as famílias para o processo por meio de atividades domiciliares, os professores para a discussão das temáticas com projetos interdisciplinares e multidisciplinares, além de alinhar a gestão escolar com as demandas socioambientais, é essencial para a efetivação da sustentabilidade na escola. 

  1. Incentivando o desenvolvimento local

A sustentabilidade na escola é muito importante para o desenvolvimento local, regional e nacional. Por isso sugere-se que os projetos sejam articulados em parceria com as prefeituras municipais, as secretarias de educação, comunicação e meio ambiente, além de outros órgãos que possam auxiliar nesses projetosl.

É importante sempre lembrar que as ações sustentáveis impactam diretamente no financeiro das escolas. Não à toa que o termo “sustentabilidade financeira” é muito utilizado. Quer saber como fazer uma gestão sustentável de forma impactante, com resultado e sem utilizar muitos recursos financeiros? Veja nosso e-book.

Gostou das dicas? Quer mais? Comente neste post para que haja mais dicas de como fazer a gestão sustentável e trabalhar a sustentabilidade na escola! Você trabalha na gestão escolar e deseja implementar a sustentabilidade na escola em que trabalha? Que tal contar com a ajuda de nossa consultoria? Clique no banner e converse com nossos consultores!