Atualizado em 6 de janeiro | 2022 por SAS

Estar atualizado sobre o trabalho pedagógico dos professores, ficar de olho no desempenho dos alunos e controlar gastos: essas são apenas algumas das atividades que os gestores precisam fazer. E aqui entra a importância do relatório escolar, ferramenta que busca reunir todas as informações citadas.

Entretanto, muitos profissionais ainda não possuem o hábito de elaborar relatórios. E, por isso, ficam um pouco perdidos na hora de criar um documento do tipo. Se este for o seu caso, faça a leitura do texto de hoje até o final.

No decorrer dos próximos tópicos, reunimos tudo o que você precisa saber sobre o assunto e elaboramos um passo a passo para que você não tenha dúvidas quando for montar o relatório da instituição onde atua.  

O que é um relatório escolar?

Quer saber a importância de criar um relatório escolar? Com o SAS você tira todas as suas dúvidas!

Relatório escolar é um registro que oferece uma visão completa do desempenho do aluno ao longo de determinado período de tempo. É como se ele fosse uma versão mais avançada do famoso boletim. Afinal, este último reúne apenas as notas do estudante, já o relatório traz dados sobre seu comportamento, bem como suas dificuldades e conquistas.

Sendo assim, ele é elaborado em forma de texto descritivo e repassado aos pais e aos próprios educandos. Desse modo, todos conseguem visualizar o real desempenho acadêmico alcançado.

O melhor é que o relatório ajuda as famílias a entenderem o processo de aprendizagem dos filhos, o comportamento que têm fora de casa e ajudá-los com suas dificuldades.

Para os professores, o documento também é muito útil, pois os ajuda a montar um planejamento de aula mais efetivo, com foco na resolução das lacunas de conhecimento identificadas.

Para a gestão, por outro lado, o relatório é uma ferramenta extremamente útil na construção do planejamento anual, ajudando no desenvolvimento de estratégias pedagógicas de longo prazo.

E o SAS sabe da importância de todos esses dados para a qualidade de aprendizagem dos alunos. Por isso, disponibilizamos às nossas escolas parceiras o Relatório de Expectativas de Aprendizagem, que identifica as dificuldades por aluno e por disciplina. Relatório de gestão escolar

Além do relatório com ênfase no desenvolvimento acadêmico dos estudantes, também é possível elaborar um que leve em conta todo o cenário da instituição de ensino. É aqui que entra o relatório de gestão escolar.

Por meio dele, você consegue analisar questões relacionadas à:

  • infraestrutura da escola;
  • aspectos financeiros, principalmente controle de gastos;
  • atividades realizadas por supervisores, coordenadores, diretores e orientadores;
  • número de matrículas e de transferências de alunos;
  • índice de aprovação nos vestibulares.

Esse tipo de documento é muito importante para o trabalho dos gestores, já que facilita o processo administrativo, a definição e o atingimento de metas.

Como fazer um relatório escolar simples?

Com o relatório escolar a escola pode acompanhar o desenvolvimento do aluno e descobrir os melhores métodos de atuação.

O relatório das ações desenvolvidas na escola precisa estar de acordo com a realidade de cada instituição. Todavia, alguns pontos não podem faltar no documento:

Introdução – 1º parágrafo

No início do relatório, é importante apresentar as atividades trabalhadas com os estudantes dentro da disciplina que está sendo o foco do registro. Liste os objetivos de cada proposta pedagógica e explique o que a turma precisava fazer para atingi-los.

Apresentação das características do aluno – 2º parágrafo

A partir daqui, o foco deve ser no aluno de forma individual, isso significa que não devem haver comparações com os colegas.

Sendo assim, destaque os pontos positivos do educando:

  • o que ele faz bem em sala de aula?
  • Em quais tipos de atividades se dá melhor?
  • O que gosta de estudar?

Relato de aprendizagem – 3º parágrafo

No terceiro parágrafo, a ênfase deve ser nos aspectos cognitivos do estudante. Ou seja, é preciso deixar claro o que, de fato, ele aprendeu e quais suas dificuldades.

Aqui, também, é o momento de explicar quais foram as ações do professor para ajudar a criança ou o adolescente a superar os obstáculos de aprendizagem.

Apresentação dos aspectos socioemocionais do aluno – 4º parágrafo

Nesta parte do relatório escolar, é importante descrever o comportamento do aluno. Sendo assim, informe:

  • como ele interage com os colegas;
  • quais suas habilidades de comunicação;
  • como resolve conflitos e lida com críticas;
  • qual sua postura quando precisa tomar decisões e agir com responsabilidade;
  • entre outras questões.  

Resumo do desempenho do aluno – 5º parágrafo

A parte final do relatório deve informar se o educando conseguiu atingir os objetivos propostos pelo professor e listados no primeiro parágrafo.

Também é importante deixar claro se o jovem está apto a enfrentar novos desafios e, em caso negativo, o que falta para que isso ocorra.

Como descrever uma atividade realizada em sala de aula?

Com o relatório escolar sua escola estará sempre à frente, garantindo uma aprendizagem efetiva para os alunos.

Na hora de relatar as atividades pedagógicas presenciais, é necessário ser bastante claro e objetivo. Sendo assim, explique:

  • como era a atividade e onde foi realizada;
  •  quantos alunos participaram;
  • qual era o objetivo;
  • quais assuntos foram trabalhados;
  • quais as dificuldades apresentadas.

Também é importante, durante o relato, trazer informações específicas, tanto relacionadas à aprendizagem quanto ao comportamento do estudante.

Começando pela questão da aprendizagem, é importante descrever informações sobre:

  • capacidade de leitura e interpretação do aluno;
  • habilidades de escrita;
  • habilidades em matemática e raciocínio lógico (dependendo da atividade);
  • aptidão de memorizar informações;
  • capacidade de concentração.

Já no que se refere à descrição dos aspectos comportamentais, é importante falar sobre:

  • nível de socialização, identificando como trabalham em grupo e se são mais introvertidos ou extrovertidos;
  • capacidade de respeitar as regras apresentadas e a figura de autoridade do professor;
  • habilidades socioemocionais, indicando como o aluno reage em momentos de tensão, como trata bens coletivos e pessoais e como interage com os colegas;
  • capacidade de seguir as orientações do professor e completar as atividades em sala.

Como fazer um relatório de aulas não presenciais?

Seja na modalidade presencial, on-line ou híbrida, o relatório escolar é uma ferramenta muito importante para um processo de ensino-aprendizagem efetivo.

As aulas on-line estão ganhando força nas instituições de ensino e se destacaram em todo o mundo por conta da pandemia.

Entretanto, mesmo com a retomada do ensino presencial, grande parte das escolas deve manter algum nível de educação digital, investindo principalmente no modelo híbrido. Para saber mais sobre o assunto, indicamos a leitura do nosso e-book.

Dessa maneira, os relatórios escolares precisam se adaptar a essa nova realidade. É importante estar ciente, por exemplo, que nem sempre será possível fazer descrições sobre o comportamento dos alunos. Afinal, se eles não conseguirem participar das aulas ao vivo, o professor não poderá observar suas ações.  

Nesses casos, vale a pena investir em formulários de autoavaliação e pedir ajuda às famílias para que repassem à escola informações sobre os hábitos do estudante.

Outro ponto importante é apresentar no relatório as experiências, positivas e negativas, das diferentes atividades on-line. Ou seja, liste o que deu certo e por que teve bons resultados; da mesma forma, exponha os problemas encontrados e o que poderia ter sido feito diferente.

Não se esqueça também de explicar no documento o que era esperado dos alunos nas aulas não presenciais, tanto em termos de aprendizagem quanto de interação. Isso facilita todo o processo avaliativo.

Além de tudo isso, é interessante pensar na criação do relatório dentro de cada nível de ensino. Até porque existem peculiaridades nas diferentes etapas da vida escolar.

Educação infantil

Para as crianças que estão na educação infantil, vale a pena descrever no relatório:

  • o nível de concentração do aluno durante as aulas ao vivo;
  • a capacidade de entender e utilizar as ferramentas digitais e realizar as atividades;
  • a frequência do aluno nas aulas;
  • o apoio da família para a criança participar das atividades ao vivo;
  • a disposição da criança para interagir com os colegas e o professor nos encontros ao vivo;
  • a capacidade do aluno acompanhar os comandos dados pelo professor.

Ensino fundamental

Durante o ensino fundamental, as possibilidades de registro são diversas. Entre elas, podemos citar:

  • nível de participação do estudante nas atividades propostas;
  • respeito pelos colegas e professores durante as aulas ao vivo;
  • atenção às orientações transmitidas pelo professor durante as atividades;
  • atrasos ao ingressar nas aulas;
  • nível de agitação durantes os encontros;
  • presença durante todo o horário da aula ou ausências frequentes durante as atividades.

Ensino médio

No caso dos estudantes do ensino médio, é importante que os relatórios escolares abordem questões relacionadas:

  •    ao comprometimento com as atividades;
  •    à pontualidade para assistir às aulas ao vivo;
  •    ao nível de motivação para estudar os assuntos da disciplinas;
  •   à postura apresentada nas aulas on-line em comparação com àquela das aulas presenciais;
  • interação com os colegas na realização de trabalhos em grupo.  

Para os jovens dessa faixa etária, também vale a pena investir nas autoavaliações. Afinal, eles já conseguem ter uma autopercepção mais apurada sobre o próprio desempenho.

Relatório escolar é com o SAS Educação!

Como deu para perceber, relatórios escolares são ferramentas úteis para as instituições de ensino. Por meio deles, é possível avaliar o desempenho dos estudantes, fazer um planejamento de aulas mais assertivo, assim como montar um projeto político-pedagógico completo da escola.

Entretanto, nem sempre é simples ou rápido criar esse tipo de registro. Por isso, o SAS Educação criou soluções para facilitar a vida dos professores e gestores. Entre elas estão:

  • os Simulados SAS;
  • a Avaliação Diagnóstica SAS, que avalia o conhecimento adquirido pelo aluno, bem como sua evolução em uma área de estudo;
  • a Avaliação Acadêmica Sistemática, que faz uma análise das aprendizagens essenciais trabalhadas em determinado período letivo;
  • a ferramenta Avalie!

E depois do relatório escolar, o que acontece? O SAS continua sendo parceiro da escola, pois a partir dos resultados observados auxilia a gestão escolar a desenvolver um Plano de estudos pós-diagnóstico, que propõe soluções personalizadas.

Para saber mais informações, clique no banner abaixo e converse sem compromisso com um dos nossos consultores. Assim, você fica por dentro de todas as vantagens de ter uma parceria com o SAS.