Atualizado em 4 de agosto | 2022 por SAS

O Projeto de Vida é um dos pilares da reforma do Ensino Médio e, por isso, possui bastante destaque no texto da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). O tema, no entanto, vem gerando dúvidas de como abordá-lo e implementá-lo pelos gestores escolares.

Ao longo dos próximos tópicos, vamos explicar o que, de fato, é o Projeto de Vida e falar sobre a importância dele para os estudantes do Novo Ensino Médio. Também iremos detalhar o que se deve fazer, enquanto profissional da educação, para colocá-lo em prática na escola onde atua. 

Então, continue com a leitura e aproveite todas as informações que separamos para você!

O que é o Projeto de Vida na escola?

O Projeto de vida é uma base importante do Novo Ensino Médio

Projeto de Vida é uma iniciativa para auxiliar os jovens a entenderem onde eles estão e onde eles gostariam de chegar na vida. Isso envolve planejamento e atividades pedagógicas que estimulam o autoconhecimento.

Com a inserção dos Itinerários formativos no Novo Ensino Médio, é importante que os alunos tenham uma melhor compreensão de seus objetivos, pessoais e profissionais, e que guiem sua formação tendo-os como base. E é esse o papel do Projeto de Vida.

Por isso a BNCC destaca a importância de haver um projeto pedagógico que auxilie os alunos, desde a educação infantil, a entender suas metas e desejos.

Vamos explicar mais sobre esse ponto, o Projeto de Vida e o papel dos gestores e docentes em sua implementação ao longo desse conteúdo preparado para você. Boa leitura!

Qual é o objetivo do projeto de Vida no Ensino Médio?

No contexto do Novo Ensino Médio, o processo de autoconhecimento é essencial, pois é nesse momento que o estudante se depara com a necessidade de fazer escolhas realmente impactantes para a sua vida, em que ele se vê migrando para a fase adulta. 

Então, ter um projeto em sua escola que ajude os alunos nessa trajetória é de extrema importância. Explicaremos mais sobre a importância da autonomia do aluno ao longo do conteúdo. Por enquanto, vamos apresentar outros objetivos do Projeto de Vida. 

A reforma do Ensino Médio trouxe para o currículo os chamados itinerários formativos. Ou seja, um conjunto de disciplinas, projetos ou atividades que os estudantes podem escolher para aprofundar seus conhecimentos em determinada área de estudo, relacionando-se também com o curso desejado para graduação.

A escolha por cada itinerário baseia-se nas preferências do aluno. Por isso, é fundamental trabalhar o processo de autodescoberta e planejamento do futuro. Assim, sua decisão fará sentido para o que ele almeja a longo prazo.  

Dessa forma, podemos também falar sobre a evasão escolar nas universidades. No ano de 2021, por exemplo, quase 3,5 milhões de estudantes abandonaram seus cursos em faculdades privadas. Isso representa uma taxa de 36,6%. Nas universidades federais, o índice médio de evasão ficou em 14,57% no ano de 2018.

Para tentar mudar essa realidade, o ensino está cada vez mais focado no protagonismo do aluno. O objetivo é fazê-lo assumir uma postura ativa no processo de aprendizagem e também na vida em sociedade. E é aí que o Projeto de Vida se torna relevante.

O papel do gestor na implementação do projeto de vida

Sabendo da importância que o Projeto de vida desempenha no Novo Ensino Médio, como gestor, é preciso entender seu papel e como exercê-lo da melhor forma possível.

Pode-se dizer que o gestor é o mediador, responsável por coordenar todas as atividades do projeto. Sua postura também serve de exemplo para professores e demais funcionários da escola. 

Com o novo modelo de ensino, os alunos passarão por processos diferentes de desenvolvimento e é preciso que tenham auxílio em todos eles. O projeto de vida possibilita que o aluno entenda melhor o caminho que deseja e como chegar lá, e os profissionais da educação representam o suporte e o estímulo do estudante ao longo desse processo.

Tendo um papel tão importante, quais ações podem ser benéficas para a implementação do Projeto de vida? Nos próximos tópicos, separamos quatro dicas para ajudá-lo nessa jornada. 

Trabalhar o desenvolvimento das competências do aluno 

Antes de tudo, você precisa trabalhar a questão do desenvolvimento pessoal do estudante. Ou seja, estimular sua autoconfiança por meio do fortalecimento de competências técnicas e socioemocionais. 

As habilidades técnicas têm como base o próprio conteúdo acadêmico. Para desenvolvê-las, é importante focar nos itinerários formativos, auxiliando o aluno a escolher o que mais lhe interessa. 

Também incentive o trabalho por meio de projetos que integrem diferentes disciplinas. Assim, os jovens conseguem aplicar o aprendizado de forma prática e mais próxima da realidade.

No caso das competências socioemocionais, é preciso ter em mente que elas envolvem o estudo das emoções e são extremamente importantes tanto para o mercado de trabalho quanto para a vida em sociedade. 

De acordo com a BNCC, as escolas precisam trabalhar as seguintes habilidades com os estudantes:

  • autoconsciência: estimula o autoconhecimento do aluno, facilitando o processo de estipular desejos e objetivos;
  • autogestão: desenvolve o controle dos sentimentos e impulsos, além de a habilidade de estipular objetivos pessoais;
  • consciência social: foca no desenvolvimento de habilidades ou sentimentos, como empatia e respeito;
  • habilidades de relacionamento: estimula a colaboração e a comunicação;
  • tomada de decisão responsável: foca na habilidade dos alunos de tomar escolhas responsáveis para suas vidas. 

Desenvolver cada um desses pontos tem impactos positivos a curto e longo prazo na vida dos jovens. Para entender um pouco mais sobre cada um deles, visite nosso conteúdo sobre Habilidades Socioemocionais.

Dialogar sobre carreira e sonhos profissionais 

É preciso estar atento à individualidade dos alunos no novo modelo de ensino

É importante pensar junto ao aluno as possibilidades de profissões, os desafios, as necessidades e como ele pode se planejar para o futuro profissional. 

Enquanto gestor, é preciso orientar, mas também dar foco à individualidade e autonomia de cada estudante, permitindo que ele construa seu próprio caminho. 

Na prática, é possível:

  • organizar uma feira de profissões;
  • fazer palestras sobre o mercado de trabalho;
  • promover visitas a empresas, de modo que o jovem possa visualizar como é o cotidiano de determinada profissão.

Esses são apenas alguns exemplos, mas você pode propor diversas outras ações.  

Pensar também além da carreira

Como gestor, você também pode ajudar o estudante em projetos pessoais. Ou seja, para além dos planos de trabalho, que outros elementos ele tem como meta? Quais as aspirações dele em relação à família, viagens, hobbies, relacionamentos? 

Converse com o jovem sobre como ele vê o futuro e o auxilie a ter clareza sobre seus objetivos e a criar estratégias para alcançá-los. Afinal, o Projeto de Vida não diz respeito apenas à carreira, mas sim ao desenvolvimento do aluno como um todo

Realizar projetos de responsabilidade social e de sustentabilidade, investir na criação de mapas de valores e em aulas de educação financeira são ações interessantes que você pode colocar em prática. 

Estimular a autonomia e o protagonismo do aluno 

Um dos pontos-chave para qualquer pessoa ter uma vida plena e atingir seus objetivos é ter responsabilidade e autonomia para ir atrás dos próprios sonhos. Só que esses são comportamentos que precisam ser estimulados, e a escola tem um grande papel nesse processo. 

Sendo assim, estimule a independência do seu aluno. Respeite e incentive sua expressão de individualidade, colocando-o como protagonista da construção do conhecimento. Ou seja:

  • considere as ideias dos estudantes na hora de elaborar os projetos acadêmicos;
  • promova grêmios estudantis;
  • invista na gestão participativa etc.  

Independentemente das ações propostas, o importante é que você tenha consciência de como o Projeto de Vida é relevante para o aluno e colabore de forma sistemática com o desenvolvimento dele. 

E os gestores que querem um auxílio profissional para colocar em prática o projeto dentro da escola onde atuam podem contar com nossas soluções. 

A tecnologia é seu melhor aliado nessas transformações 

Possuímos serviços de consultoria, além de várias soluções tecnológicas, que ajudam os gestores no processo de adaptação para o novo modelo de Ensino Médio. E aqui podemos incluir a questão do Projeto de Vida.

Entre as soluções que você precisa conferir estão:

  • SASTV, que possibilita ao aluno estudar de forma mais autônoma;
  • livros digitais estruturados nos novos moldes do Ensino Médio que trabalham o protagonismo do estudante e abordam o Projeto de Vida;
  • planos de estudo personalizados para os alunos, contribuindo para o desenvolvimento pessoal;
  • plataforma FOCOS para a formação continuada dos professores;
  • aplicativo PROJET, onde os alunos realizam missões voltadas ao Projeto de Vida.

Entre em contato com um de nossos consultores e conheça melhor cada uma das soluções apresentadas.