Atualizado em 10 de dezembro | 2020 por SAS

No especial de fim de ano do SAS Cast, a coordenadora do +Gestão do SAS, Manuelle Rodrigues, bateu um papo com a Thamires Corga, coordenadora da Consultoria Pedagógica do SAS, e com a Silvana Spila, diretora de Ensino do Colégio Bezerra de Menezes, sobre o que foi aprendido em 2020. 

O ano de 2020 foi cheio de surpresas e desafios para todos. Quem imaginaria que o mundo viveria os impactos do distanciamento social, decorrentes de uma pandemia? Muitas incertezas, com certeza. Mas, muito do que foi aprendido em 2020  merece ser compartilhado.  

Para ressaltar os aprendizados e os inúmeros desafios vividos pelas escolas, desde a adequação das aulas ao ensino remoto e formação de professores, até o acolhimento socioemocional do aluno, o SAS Cast recebeu a coordenadora do +Gestão do SAS, Manuelle Rodrigues, para bater um papo com Thamires Corga, coordenadora da Consultoria Pedagógica do SAS, e com Silvana Spila, diretora de Ensino do Colégio Bezerra de Menezes. Durante a conversa, as especialistas relembraram as grandes ações executadas ao longo do ano e pontuaram os aprendizados que levarão para o próximo ano. 

Silvana Spila inicia a conversa, ressaltando que: 

“Desde que a pandemia se instalou em março, começamos uma mudança em nossos hábitos, uma vez que os desafios tomaram conta, ainda mais, de nossas vidas. A educação já é desafiadora para por si só, mas não imaginávamos o quanto esse ano seria difícil. Tivemos, então, que partir deste cenário de aulas on-line, até então nada familiar para nós. […] essa mudança gerou uma reestruturação de trabalho e novas estratégias, para que a aprendizagem e os conteúdos pudessem ser trabalhados de forma remota. A insegurança era grande. A palavra que mais se ouvia nas conversas era: temos que nos reinventar. Por isso, fomos criando novas formas de trabalho para que isso fosse se concretizando, com a ajuda das famílias, alunos e professores. Reuniões foram realizadas para que todos se apropriassem desse novo formato de aulas on-line e das tecnologias que, afinal, foram tão importantes para que todos se sentissem próximos, ainda que distantes.” 

O grande desafio foi replanejar muitos temas que tiveram sua definição logo antes do início da pandemia, como o uso de novas tecnologias (que, até então, contavam com uma inserção lenta no mercado de educação), novas formas de dar aula, novas ferramentas que contribuíssem para engajar os alunos, além das dificuldades das próprias famílias.  

Quanto às ações realizadas em 2020 e seus aprendizados, Silvana pontua que as ações no Colégio abrangeram, principalmente, atividades ligadas ao desenvolvimento de habilidades socioemocionais. Diversos projetos tiveram a intenção de aproximar as famílias dos seus alunos, para que aprendessem a lidar com esse novo momento. Além disso, foram feitas ações, também, com colaboradores da escola. Nesse contexto, Silvana reforça que: 

“Fizemos pesquisas, grupos de WhatsApp com os pais/responsáveis, tiramos dúvidas, amparamos os alunos com um canal aberto para estabelecer esta proximidade virtual e oferecer qualquer apoio. Esta insegurança vinha crescendo diante das incertezas de como ficariam as aulas, e os professores foram fundamentais nesse apoio aos nossos alunos. Além disso, também oferecemos suporte emocional e a capacitação para o uso das tecnologias em sala de aula, pois muitos professores não estavam preparados para este novo formato de aulas. A equipe de Psicologia da escola realizou um trabalho com todos, neste sentido de acolhimento, e a equipe de Gestão cuidou de estabelecer esta proximidade, tanto das famílias, quanto dos colaboradores.”  

Para a diretora, um dos pontos fundamentais de aprendizado foi o desenvolvimento da empatia. “Nos tornarmos mais solidários, menos consumistas, valorizarmos cada amanhecer e nossa saúde, que é algo que não tem preço”, completa.  

Segundo as especialistas, muitas escolas foram capazes de se reinventar em 2020, utilizando a criatividade para manter a qualidade do ensino e assegurar as aprendizagens dos alunosTivemos um ano muito difícilEstamos em isolamento social, saímos da nossa zona de conforto e ainda temos mais um período de incertezas até que tudo isso se acalme. Mas, são nas adversidades que aprendemos mais. Tenho certeza de que todo o conhecimento adquirido não vai ficar por aqui, finalizam. 

Assim como as escolas parceiras, o SAS também aprendeu que é capaz de realizar excelentes iniciativas, mesmo de forma remota. Que tal conhecer melhor nossas soluções e como podemos ajudar sua escola no planejamento do próximo ano letivo?