Atualizado em 28 de setembro | 2020 por SAS

Diante das diversas dimensões em que o ser humano precisa interagir, é na escola que ele encontra um lugar com condições para refletir, formar e transformar. Essa escola deve ter em sua prática uma permanente reflexão teórica sobre a maneira de ensinar e de incluir seus alunos.

Já aos professores, cabe a tarefa de acompanhar e avaliar os alunos atuando de maneira ativa na maneira como cada um constrói o conhecimento.

Intervir no processo de ensino e aprendizagem é uma ação recorrente do professor em sala de aula. Por vezes, mesmo sem muita consciência de que está mediando determinadas dificuldades ou potencializando as competências dos alunos, o professor acaba por dar voz a uma escola inclusiva e que contribui para a formação de cidadãos mais cientes do seu papel no mundo.

O projeto de intervenção pedagógica vem justamente com este intuito: auxiliar o professor a entender e atuar de forma proativa nas  dificuldades de aprendizagem dos alunos, proporcionando uma escola inclusiva para todos.

Se você quer aprender mais sobre intervenção pedagógica e o seus desafios, continue a leitura!

O que é intervenção pedagógica?

A intervenção pedagógica traz como definição a intercessão de profissionais como educadores e pedagogos na maneira como os alunos demonstram seu aprendizado.

Quando existem dificuldades para compreender determinado conteúdo, a intervenção pedagógica vem com o objetivo de auxiliar nas  atividades, ferramentas digitais, experimentos etc, para que o aluno seja capaz de entender o assunto.

A falta de compreensão em um ou mais pontos do aprendizado podem gerar problemas futuros e refletir na maneira como o aluno interage em sala de aula, dificultando sua inclusão no grupo.

Ainda, estigmas gerados por situações rotineiras como, por exemplo, quando o aluno não consegue fazer contas básicas de matemática ou  acompanhar os movimentos de um esporte na aula de educação física, podem acabar por trazer  sentimentos de baixa estima e menos valia para o aluno.

Qual o papel do professor nesse contexto?

Compete aos professores encontrar novos caminhos – por intermédio de elementos educacionais diferenciados – para tornar a aula inclusiva e dar oportunidade para que os alunos possam pensar de forma livre.

No acompanhamento do rendimento dos alunos, é possível identificar quais temáticas precisam de reforço, pois são aquelas que geram mais dúvidas ou dificuldades de entendimento, e que devem ser revistas e trabalhadas por meio da intervenção pedagógica.

Essas ações têm o objetivo de auxiliar a assimilação e compreensão dos tópicos tratados em sala de aula. Pensar de maneira criativa e estratégica em como apresentar tais assuntos em classe torna o aprendizado mais atrativo.

O projeto didático de intervenção pedagógica

A intervenção pedagógica deve partir do professor diante da realidade de cada aluno

Em uma escola inclusiva, o projeto didático deve seguir alguns passos para que tenha os resultados esperados. Manter o olhar atento, observando e avaliando frequentemente os alunos é a melhor forma de avaliar as dificuldades e os resultados.

Sem estabelecer uma metodologia clara para implantar o projeto pedagógico da intervenção pedagógica, corre-se o risco de trabalhar de forma equivocada. 

Abaixo, algumas dicas para a introdução da intervenção pedagógica através de avaliações:

  1. Avalie como está a compreensão do mesmo assunto nas outras turmas;
  2. Troque percepções com os outros professores;
  3. Identifique aqueles temas que, de certa forma, “todos” os alunos têm dificuldade;
  4. Analise o percentual de erros e acerto nas avaliações.

No entanto, apenas avaliar o aluno não é o bastante. Após esse processo, é preciso estabelecer critérios como importância, originalidade e viabilidade em incluir outras atividades no contexto escolar.  

Como trazer a intervenção pedagógica para minha sala de aula?

A intervenção pedagógica atual pode incluir o uso da tecnologia e debates, gerando aprendizado de forma assertiva

Há diferentes atividades que podem contribuir positivamente para uma intervenção pedagógica. Tudo vai depender dos pontos que foram avaliados como prioritários. Abaixo, acompanhe algumas dicas para incluir a intervenção pedagógica no dia a dia:

Leitura e escrita

Se um dos pontos de atenção está relacionado à leitura e escrita, a sugestão é realizar a leitura e interpretação de textos em conjunto com os alunos. Proponha a elaboração de textos em todos os gêneros textuais.

Pode-se também realizar a revisão daqueles temas com baixo índice de acertos. Mas, a revisão deve ser apresentada de maneira bastante diferente de como foi apresentada da primeira vez, como por exemplo: pedir ao aluno para gravar um pequeno vídeo falando sobre o que entende do assunto.

Tecnologia e gamificação

A tecnologia também deve ser uma aliada no projeto de intervenção pedagógica. Há muitas formas de contribuir para uma escola inclusiva com atividades como a gamificação, por exemplo, onde jogos competitivos e colaborativos tornam o processo de aprendizado mais dinâmico.

Isso pode gerar maior interesse em aprender, além de promover a inclusão dos alunos com maiores dificuldades. Criar gincanas e competições online utilizando a realidade aumentada também pode contribuir.

Debates

Organizar atividades em grupo para que juntos possam discutir sobre o assunto, levantando dúvidas e buscando juntos a resposta é uma forma de criar um aprendizado colaborativo. Esta ação dentro e fora de sala de aula permite a aproximação dos alunos e o fortalecimento da escola inclusiva.

Sala de aula invertida

Outro modelo que contribui para a intervenção pedagógica é a sala de aula invertida. Primeiro, os alunos têm contato com o conteúdo a ser trabalhado em casa, seja por meio de videoaulas, experiências, leitura ou demais recursos.

 Quando voltam à sala de aula realizam atividades de fixação e compartilham suas vivências e dúvidas. Ao assumir o papel de mediador e não o dono absoluto do conhecimento, o professor abre espaço para o protagonismo do aluno.

Em resumo

A intervenção pedagógica pode ir além da sala de aula. Ao propor ações externas como grupos de estudo, por exemplo, há maior estímulo e o entendimento sobre o assunto acontece de forma mais natural, pois em uma aprendizagem horizontal (aluno com aluno) o discurso flui melhor e sem tantas exigências como na aprendizagem vertical (professor com aluno).

Como papel prioritário, a intervenção pedagógica tem o papel de incluir, acompanhar e desenvolver os alunos. Quando dificuldades são observadas, é o professor que precisa agir de maneira criativa e objetiva para minimizar os impactos no resultado final.

É nítida a importância de o ambiente escolar possuir serviços e materiais de qualidade para oferecer a melhor experiência durante o processo de intervenção pedagógica.

Quer saber como o SAS pode ajudar sua escola na missão de transformar pessoas por meio da Educação de Excelência? Clique aqui e fale com nosso time de consultores.