Atualizado em novembro | 2020 por SAS

Em mais um SAS Cast, a Gerente de Formações do SAS, Anna Paula Barreira, bateu um super papo com a Mônica Marques, coordenadora de Integração na Escola Santa Teresinha, em Imperatriz (MA), e com o Paulo Oliveira, diretor Pedagógico do Colégio Biângulo, no Distrito Federal. As escolas foram vencedoras da categoria “Formação Pedagógica”, na 1ª edição do Prêmio Escolas que Inspiram. 

Ser professor sempre demandou muito trabalho e aprendizados constantes. As tecnologias evoluem a cada dia, e a forma de ensinar também, o que pode tornar obsoletos métodos aplicados durante anos. Com a pandemia, esta realidade se tornou ainda mais forte. Para conquistar equipes escolares extremamente qualificadas e em constante aprimoramento, é necessário investir em formação pedagógica continuada. 

Implementar e manter uma cultura de formação pedagógica em uma escola não é uma tarefa simples. Pensando nisso, o “Prêmio Escolas que inspiram”, realizado pelo SAS com o objetivo de reconhecer projetos de excelência de suas escolas parceiras, selecionou duas instituições com iniciativas eficientes voltadas ao tema. 

O Colégio Biângulo, localizado no Distrito Federal, identificou uma grande necessidade de promover formação continuada com o início da quarentena. Muito docentes precisavam de auxílio para dar suas aulas virtuais. Visando manter estes profissionais engajados e capacitados para dar uma aula com qualidade durante o período remoto, foi iniciado o “I Ciclo de Formação Docente”. No projeto, o colégio disponibilizou a formação não só para os professores da sua rede, mas, também, para os docentes de escolas públicas que enfrentavam dificuldades para implementar as aulas remotas.  

Oferecer formação pedagógica continuada ao time de docentes garante uma equipe mais qualificada e preparada para enfrentar desafios.

Para Paulo Oliveira, diretor Pedagógico do colégio, um dos principais resultados obtidos foi a troca de aprendizados e boas práticas entre os professores da rede e os professores das escolas públicas. Além disso, Paulo afirma que as mudanças vieram rapidamente. No início da quarentena, os professores estavam inseguros e, a partir da formação, os docentes conseguiram dinamizar suas aulas e aplicar o que foi aprendido na mesma semana, gerando diversos feedbacks positivos dos pais e alunos. 

Assim como o Colégio Biângulo, a Escola Santa Teresinha, localizada em Imperatriz (MA), também desenvolveu projeto vencedor na categoria “Formação Pedagógica”. O Projeto Simpósio de Educação, que já ocorre na escola há quatro anos, tem como objetivo capacitar os docentes para as mudanças que ocorrem no mundo da educação, de maneira que o professor seja ativo e protagonista deste aprendizado.  

O projeto é realizado a partir de encontros mensais. Os docentes são divididos em grupos para estudarem a mesma bibliografia, apresentando o que aprenderam e relacionando o conteúdo com alguma atividade prática realizada em sala de aula.  

De acordo com Mônica Marques, coordenadora de Integração, os resultados deste projeto são inúmeros. Com ele, os professores se tornaram cada vez mais abertos para o novo, o que foi de grande valia para superar os desafios impostos pela pandemia. Além disso, o resultado foi percebido por meio de exames nacionais, como o ENEM, no qual a escola apresentou evolução.  

Para concluir, Mônica e Paulo destacam a importância de investir sempre em formação continuada, independente do momento histórico que é vivido. Além disso, ressaltam que o prazer de ensinar está ligado ao prazer de aprender. 

Quer entender como o SAS pode auxiliar sua escola a atingir, ainda mais, uma Educação de Excelência? Clique aqui