Atualizado em 12 de fevereiro | 2021 por SAS

Embora seja um assunto pouco discutido nas escolas, a gestão de cantinas pode gerar dúvidas na comunidade escolar, principalmente, sobre os possíveis caminhos para melhorá-la.  

A gestão de cantinas na escola é um assunto pouco discutido e, muitas vezes, deixado em segundo plano pela gestão escolar. Apesar de ser uma forma de receita para a escola, o tema pode gerar dúvidas sobre sua gestão, cardápio, inovações no mercado, entre outros.  

Para abordar melhor esse tema, o gerente executivo de Relacionamento Estratégico do SAS, Lucas Faleiros conversou com o Rodolfo Dias, sócio-diretor da Nutrebem, e com a Marcella Moreira, sócia-fundadora da Lanche do Bem, que trouxeram, em mais um episódio do SAS Cast, as principais dúvidas relacionadas ao contexto atual, a importância de uma alimentação saudável no cardápio da cantina escolar e boas práticas para a melhoria da gestão de cantinas. 

Confira! 

Como que as operações de cantina têm seguido no contexto da pandemia? 

Marcella enxerga que, na retomada das aulas presenciais ou híbridas, o setor das cantinas terá que ser mais atuante nos protocolos de segurança e na execução de boas práticas alimentares, o que tende a ser bastante desafiador.  

Nesse sentido, Rodolfo concorda e acrescenta que há já existem alguns caminhos nessa área, como a eliminação da utilização do dinheiro em espécie, visto que é um vetor de contágio, e a questão da aglomeração. Para mitigar esses aspectos, ele pontua que a maneira como é feita a compra deve ser alterada, por exemplo, com agendamento dos pedidos por meio de aplicativo, seguindo o movimento de digitalização das atividades.

Tem escola que já conseguiu eliminar 100% do dinheiro? E para casos em que não há acesso ao aplicativo (sem celular ou sem internet)? 

Rodolfo afirma que são poucas as escolas que conseguiram eliminar 100% a utilização do dinheiro. Nas escolas que utilizam a solução da Nutrebem, por exemplo, a internet cabeada se faz necessária. Algumas utilizam, ainda, o autoatendimento, que, caso fiquem sem internet, o terminal continua funcionando. 

Quais adaptações têm sido feitas para adequar a gestão de cantinas aos diferentes hábitos alimentares (veganismo, restrição a glúten, intolerâncias)? 

Rodolfo vê esses hábitos como uma tendência, uma vez que é possível traçar o perfil alimentar dos alunos para melhorar o valor nutritivo dos produtos consumidos. Porém, ele ressalta que é um trabalho que deve ser realizado em conjunto entre o mantenedor e os responsáveis pela cantina para focar na melhoria do cardápio, tanto para abranger os diferentes hábitos alimentares dos alunos, quanto para proporcionar uma alimentação mais saudável. 

Quais as boas práticas para a gestão de cantinas? 

Com base em estudos de caso, Rodolfo separa em dois fatores

  1. Eliminação do dinheiro; 
  1. Melhoria contínua do cardápio. 

Além disso, dá ênfase que o engajamento dos alunos é fundamental. Para isso, uma experiência lúdica deve ser proporcionada pela escola, a fim de reforçar que os produtos saudáveis também são gostosos, quebrando a barreira com relação a certos alimentos de forma sutil. 

Marcella ressalta, ainda, a questão de a cantina estar sempre no caminho da melhoria contínua, buscando as adaptações para as mudanças de hábitos saudáveis. 

Além dos aspectos mencionados, os especialistas trazem na fala alguns exemplos e casos de sucesso nos quais foi possível, por exemplo, alavancar as vendas com alimentos saudáveis. Ouça o podcast completo, no Spotify ou no Soundcloud, para saber mais sobre a gestão de cantinas!  

O SAS pode te ajudar! 

SAS é uma plataforma de educação, que oferece soluções completas para sua escola, do material didático à gestão escolar. Com o auxílio de consultores pedagógicos especializados e focados na necessidade de cada realidade escolar, as instituições conseguem atuar de forma cada vez mais estratégica e eficiente, em todas as frentes. Conheça nossas soluções!