Atualizado em 19 de fevereiro | 2021 por SAS

O uso da tecnologia em sala de aula chegou para facilitar a rotina escolar, mas a realidade é que a adaptação a esses novos recursos pode representar um desafio para alunos, educadores e gestores. 

Por outro lado, vale salientar que, após essa fase de transição para as plataformas virtuais, as vantagens obtidas com a tecnologia em sala de aula compensam a dificuldade inicial.

Para que toda comunidade escolar possa participar de forma engajada nas atividades — especialmente na educação híbrida —, a instituição deve dispor de softwares e ferramentas de tecnologia educacional versáteis, que atendam as demandas de ensino e descompliquem, tanto a função dos professores, quanto o processo de aprendizagem dos alunos.

E, além das plataformas virtuais, a estrutura física da escola também precisa se adequar às tecnologias usadas em sala — afinal, os softwares necessitam de dispositivos e máquinas eficientes para suportar as aplicações, e também de uma conexão de rede veloz e de qualidade. 

Dito isso, ao longo deste post você poderá entender melhor sobre essas e outras questões essenciais para o uso da tecnologia em sala de aula. Confira! 

Melhores ferramentas para o uso de tecnologia em sala de aula

É fato que as novas gerações estão crescendo cada vez mais conectadas e dependentes da tecnologia no seu dia a dia. E engana-se quem pensa que essa conexão intensa com o mundo virtual é prejudicial ao aprendizado dos alunos, muito pelo contrário: o uso da tecnologia em sala de aula é capaz de aproximar ainda mais os alunos dos estudos e transformar a relação deles com a educação.

Porém, para que esse recurso seja proveitoso para ambos os lados — estudante e educador —, é importante saber escolher as ferramentas disponíveis e introduzi-las corretamente na rotina escolar. 

Assim, para lhe auxiliar, elencamos abaixo alguns exemplos de ferramentas de tecnologia educacional e plataformas que otimizam o tempo dos professores  em sala de aula, tornando os conteúdos mais interessantes para a turma:

Livro nos formatos físico e on-line para iniciar a introdução da tecnologia em sala de aula

Uma das principais considerações dos gestores e especialistas em educação é que o hábito da leitura não seja perdido com a inserção do mundo virtual na rotina dos estudantes. 

Para lidar com essa preocupação já existem diversas possibilidades de apoio à leitura, incluindo as tecnologias na rotina estudantil.

O SAS, por exemplo, conta uma solução estruturada de incentivo à leitura com livros digitais, de acordo com as propostas da Base Nacional Curricular Comum (BNCC). O Programa Leia Para Uma Criança, do Banco Itaú, é outra alternativa que fornece gratuitamente livros físicos mediante a solicitação pelo site e um extenso catálogo de e-books infantis, disponíveis na estante virtual do projeto.

O uso de tecnologia em sala de aula é altamente enriquecedor e deve ser realizado em sintonia com as demais ferramentas educacionais.

Aplicativo escolar para atividades

Os aplicativos para smartphones estão cada vez mais populares e acessíveis, tornando-os uma ferramenta muito utilizada nas escolas. Dentro das lojas de apps é possível até mesmo encontrar uma categoria própria para educação e buscar pelos aplicativos em subcategorias de acordo com a área de conhecimento.

Duolingo e Babbel são exemplos de apps voltados para o ensino de línguas estrangeiras. Em contrapartida, o SAS Aluno, exclusivo para estudantes de escolas parceiras do SAS, oferece acesso rápido e fácil a todos os serviços da plataforma.

Videoaulas: como utilizar?

Um dos primeiros recursos entendidos enquanto tecnologias educacionais foram as videoaulas, que ganharam ainda mais espaço com o ensino híbrido. Embora essa ferramenta tenha sido mais utilizada nos períodos de atividades remotas, as videoaulas também podem ser empregadas dentro do plano presencial, como complemento da explanação didática do educador.

Com uma alternativa dinâmica para que os alunos possam acessar o conteúdo das aulas de qualquer lugar, a SAS TV disponibiliza um material audiovisual de todas as matérias, com resolução de atividades, simulados, respostas para as principais dúvidas e muito mais. Ou seja, este recurso é indispensável para as instituições que desejam que a tecnologia seja aproveitada também nas atividades para casa.

Gamificação de atividades

A gamificação das atividades escolares é uma estratégia extremamente eficiente para atrair o interesse dos alunos e não perder espaço para as distrações do mundo virtual. E, utilizando os jogos educativos enquanto uma tecnologia em sala de aula, é possível avaliar o desempenho da turma e de cada aluno, estabelecer objetivos de ensino e reter a atenção dos estudantes de forma leve e produtiva.

O Eureka! tem sido uma das ferramentas de referência em gamificação na educação, e os dados revelam uma melhora de até 21% no desempenho escolar para alunos que utilizam a ferramenta consistentemente na sua rotina. Dessa forma, o investimento nesse tipo de plataforma se tornou uma tendência crescente entre as principais instituições de ensino, especialmente para os anos finais do Ensino Fundamental.

Plataforma de avaliação

A tecnologia em sala de aula deve servir também para a aplicação de avaliações e exames escolares. Esse tipo de plataforma possibilita que os educadores formulem as provas e os testes periódicos, conforme o conteúdo ministrado durante as aulas. Além disso, simulados e exames preparatórios para vestibular também podem ser aplicados por meio dessas ferramentas on-line.

Dentro da nossa área logada existem diferentes suportes para a avaliação escolar, como a própria ferramenta gamificada do Eureka! e outros recursos para analisar os resultados da turma, acompanhar o aprendizado individual dos alunos e otimizar as estratégias e metodologias de ensino aplicadas em cada segmento de ensino.

Qual a infraestrutura necessária para a tecnologia em sala de aula?

A conexão a uma rede de internet é indispensável para implantar a tecnologia em sala de aula e, fora dela, nas lições de casa. A boa notícia é que no Brasil, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), cerca de 79,1% da população total já possui acesso à internet nas residências. E, considerando apenas a zona urbana, esse número pode chegar a até 83,8%.

Principais equipamentos de infraestrutura tecnológica

O acesso a internet não é o único elemento necessário para implantar  tecnologia em salas de aula. A infraestrutura da escola também deve ser adaptada para que o uso dos softwares e plataformas seja viável. Para não esquecer de nenhum item, confira a lista com os equipamentos que não podem faltar em sua instituição:

Dispositivos

Para produzir e compartilhar um material audiovisual de qualidade e eficiente, diferentes tipos de dispositivos são necessários, como computadores de mesa ou notebooks, tablets, microfones, caixas de som, fones de ouvido, projetor de imagem, entre outros. Além disso, os softwares para elaborar o material e reproduzi-los também precisam entrar na lista, assim como os equipamentos de conexão e compartilhamento de rede — como roteador e servidor de internet.

Mobiliário

Como mencionamos, computadores de mesa, notebooks, tablets e outros dispositivos similares são exigidos para que tenhamos tecnologia em sala de aula. E, para dar suporte a esses equipamentos, o mobiliário precisa ser próprio para isso, como as mesas com compartimentos para os componentes do computador, divisórias de espaços para cada aluno-usuário e armários adequados para guardar tablets, notebooks e demais acessórios.

Manutenção e suporte técnico

Outro ponto que não pode ser deixado de lado é a manutenção e o suporte técnico para os aparelhos e plataformas. A instituição deve firmar contrato com empresas e profissionais de credibilidade para realizar as manutenções e atualizações periódicas, a fim de oferecer assistência completa em situações de emergência, como defeito em aparelho, queda da rede ou falha no sistema.

Uso de licenças e programas

Existem alternativas para que o uso da tecnologia em sala de aula aconteça de forma gratuita e permanente, entretanto, pode ser necessário adquirir licenças de uso para programas específicos. Essa opção garante maior suporte para a instituição de ensino e evita que tenha gastos extras com técnicos não licenciados. 

É fundamental que a instituição busque por um mobiliário adequado para que o uso de tecnologia em sala de aula se dê da maneira mais saudável e segura.

Como mobilizar professores e colaboradores a favor da tecnologia em sala de aula?

O uso da tecnologia em sala de aula ainda é considerado uma novidade para boa parte da comunidade escolar, portanto, a mobilização para engajar pais, educadores e alunos nessa nova metodologia precisa considerar a participação de todos esses membros. A seguir, oferecemos três sugestões que funcionam nas instituições que já aderiram à essa tendência:

  • Sistema com variadas plataformas de avaliação: desse modo, tanto os educadores possuem mais alternativas de examinar e aperfeiçoar o desempenho da turma, quanto os alunos participam de forma ativa do processo de ensino;
  • Capacitação de professores para que não reste dúvidas ou dificuldades quanto ao uso dos equipamentos e plataformas. Aqui, vale ressaltar que a capacitação precisa ser periódica e acompanhar todas as atualizações dos dispositivos e sistemas adotados;
  • Eventos reunindo familiares para compartilhar o conhecimento, expandir o uso da tecnologia em sala de aula e aproximar todos das metodologias de ensino da instituição.

Além disso, ter os serviços de uma plataforma moderna e avançada faz toda a diferença para as escolas que querem tornar a tecnologia em sala de aula um dos principais recursos de aprendizado e um diferencial. 

Gostou do conteúdo? Clique no banner abaixo para entrar em contato com um consultor SAS e descobrir todas as vantagens de se tornar uma escola parceira da melhor plataforma de ensino do país!